A dimensão subjetiva da argumentação e do discurso: focalizando as noções de ethos e de pathos

Eduardo Lopes Piris

Resumo


Este artigo trata da dimensão subjetiva da argumentação e do discurso, focalizando as noções de ethos e de pathos. Apresenta os pressupostos teóricos que fundamentam a abordagem integrada entre discurso e argumentação, recorrendo aos trabalhos de Plantin (1996), Amossy (2007) e Maingueneau (2011). Explana sobre a integração do ethos e do pathos retóricos aos quadros teóricos dos estudos discursivos, apoiando-se em Maingueneau (1997, 2005) e Charaudeau (2007, 2010). Mostra que ethos e pathos são noções indissociáveis tanto na retórica clássica, quanto nas modernas perspectivas dos estudos discursivos e argumentativos. Discute a ligação do ethos e do pathos ao sujeito do discurso, ressaltando que essas noções são centrais para a abordagem integrada do discurso e da argumentação. Por fim, conclui que o modo de sentir (pathos) contribui para a construção dos modos de dizer e de ser (ethos), assim como a confiança no orador é um fator de persuasão produzido pela construção de estereótipos culturais axiologicamente valorizados por um determinado grupo social.

Palavras-chave


Discurso. Argumentação. Ethos. Pathos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Autor e Revista EID&A

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.