O ensino da argumentação na Antiguidade e em um livro didático atual

  • Márcia Regina Curado Pereira Mariano Universidade Federal de Sergipe
Palavras-chave: Argumentação. Retórica. Ensino. Sala de aula.

Resumo

Os exercícios retóricos fizeram parte do cotidiano escolar na Antiguidade e na Idade Média, quando a Retórica, desvalorizada, foi perdendo espaço para as ciências lógicas e exatas. Hoje, poucas são as oportunidades encontradas pelos alunos para argumentar em sala de aula, embora se reconheça a importância da argumentação no uso efetivo da linguagem. A partir dessa constatação, nosso objetivo principal é refletir sobre o lugar da argumentação no ensino, da Antiguidade aos dias atuais. Com essa finalidade, voltamos aos estudos da Retórica clássica, trazendo seus principais conceitos, verificamos o lugar da Retórica no ensino ao longo do tempo, e analisamos um capítulo do livro didático Português: Linguagens, de Willian Roberto Cereja e Thereza Cochar Magalhães, publicado em 2005.  A partir da análise, observamos que ainda hoje há espaço para os exercícios de argumentação nas aulas de Língua Portuguesa, cabendo não só ao livro didático, mas também aos professores, disponibilizar para os alunos atividades que desenvolvam sua capacidade de argumentar e que permitam que eles se transformem em sujeitos críticos e socialmente ativos.
Publicado
2015-04-01
Como Citar
Mariano, M. R. (2015). O ensino da argumentação na Antiguidade e em um livro didático atual. Revista Eletrônica De Estudos Integrados Em Discurso E Argumentação, 3(1). Recuperado de https://periodicos.uesc.br/index.php/eidea/article/view/410
Seção
Artigos