A formação do parecerista de artigos científicos: um estudo de caso

Palavras-chave: Grupo de escrita, Formação do parecerista de artigo científico, Ethos, Estratégias retóricas

Resumo

Este artigo objetiva descrever um estudo de caso sobre a formação do parecerista de artigos científicos por meio da participação em grupos de escrita. Para o cumprimento deste propósito, houve comparação entre os ethé construídos em dois pareceres produzidos por um doutorando em Letras em dois momentos distintos: ao início de sua participação em um clube de escrita realizado em 2020 e ao longo de sua participação em outro grupo em 2021. Para a fundamentação das análises, utilizaram-se, como escopo teórico, estudos inseridos na Retórica e na Semântica Argumentativa, entre outras perspectivas complementares. As análises evidenciam evolução nas estratégias de construção do ethos incorporadas pelo doutorando, que apresentou características de parecerista colaborador dos autores e da revista no segundo parecer. O estudo também demonstra a importância de estratégias retóricas de elocução para a construção do ethos no gênero parecer, especialmente, operadores argumentativos e modalizadores.

Biografia do Autor

Renan Paulo Bini, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Doutorando em Letras da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Brasil. Bolsista CAPES.

Márcia Sipavicius Seide, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Docente da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Brasil.

 

Referências

AMOSSY, Ruth. O ethos na intersecção das disciplinas: retórica, pragmática, sociologia dos campos. In: AMOSSY, Ruth (org.). Imagens de si no discurso: a construção do ethos. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2016. p. 119-144.

ABREU, Antônio Suárez. A arte de argumentar: gerenciando razão e emoção. 13. ed. Cotia: Ateliê Editorial, 2017.

ARISTÓTELES. Retórica. Tradução, textos adicionados e notas: Edson Bini. São Paulo: EDIPRO, 2017.

BINI, Renan Paulo. Análise retórica de argumentos provenientes do logos presentes em editorial publicado na Folha de S. Paulo. Entrepalavras. Fortaleza, v. 10, n. 3, p. 1-23, 2020. Disponível em: http://www.entrepalavras.ufc.br/revista/index.php/Revista/article/view/1958. Acesso em: 01 jul. 2021.

BINI, Renan Paulo. Retórica e dispositivos linguísticos que indicam argumentação: um olhar para a primeira pessoa do plural. In: SELLA, Aparecida Feola; BINI, Renan Paulo; BERNARDI, Eviliane (orgs.). Atividades de Extensão na modalidade remota e síncrona: adaptação de estratégias para o ensino de Língua Portuguesa. São Carlos: Pedro & João Editores, 2021. p. 33-62.

BINI, Renan Paulo; SELLA, Aparecida Feola. Primeira pessoa do plural em dossiê da Revista Cult: traços de modalização epistêmica e de diferentes instâncias de sentido vinculadas às categorias ethos, pathos e logos da Retórica. Revista Fórum Linguístico, v. 16 n. 4, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/forum/article/view/1984-8412.2019v16n4p4135. Acesso em: 01 jul. 2021.

CARGILL, Margaret; O´CONNOR, Patrick. Writing Scientific Research Articles. 2. ed. West Sussex: Wiley-Blackwell, 2014.

CASTILHO, Ataliba de Teixeira.; CASTILHO, Célia Moraes de. Advérbios modalizadores. In: ILARI, Rodolfo (org.). Gramática do português falado. Campinas: UNICAMP; FAPESP, 1993. v. 2. p. 213-261.

CRUZ, Osilene Maria de Sá e Silva da. A avaliatividade em pareceres de revistas científicas de Linguística: uma perspectiva sistêmica-funcional. 2012. 221f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.

CORBARI, Alcione Tereza. Elementos modalizadores como estratégia de negociação em textos opinativos produzidos por alunos de ensino médio. 2013. 200f. Tese (Doutorado em Letras e Linguística) – Universidade Federal da Bahia, Instituto de Letras, Salvador. 2013.

DITTRICH, Ivo José. O Ethos na entrevista jornalística: refazer e desfazer uma imagem. Caderno de letras da UFF, n. 44, p. 277-293, 2012. Disponível em: https://vdocuments.com.br/o-ethos-na-entrevista-jornalistica-refazer-e-desfazer-uma-a-entrevista.html. Acesso em: 01 jul. 2021.

DUCROT, Oswald. Provar e dizer: leis lógicas e leis argumentativas. São Paulo: Global, 1981.

DUCROT, Oswald. O dizer e o dito. Campinas: Pontes, 1987.

DUCROT, Oswald. Argumentação e “Topoi” Argumentativos. In: GUIMARÃES, Eduardo (org). História e sentido na linguagem. Campinas: Pontes, 1989.

FIGUEIREDO, Maria Flávia; FERREIRA, Luiz Antonio. A perspectiva retórica da argumentação: etapas do processo argumentativo e partes do discurso. ReVEL, v. 14, n. 12, 2016. Disponível em: http://www.revel.inf.br/files/ee708478ffbd4c6d647dc7f21e84d3a6.pdf. Acesso em: 01 jul. 2021.

GARCÍA, Noemí Domínguez; DIAS, Massilia Maria Lira. A teoria da argumentação na análise dos conectores discursivos. ReVEL, v. 14, n. 12, 2016. Disponível em: http://www.revel.inf.br/files/18750b97d6c119b4312be77c393778d4.pdf. Acesso em 01 ago. 2020.

GUIMARÃES, Eduardo. Texto e argumentação: um estudo de conjunções do português. 2. ed. Campinas: Pontes, 2001.

HOHENDORF, Jean Von. Como Elaborar um Parecer de Artigo Científico? E porque Devemos Ser Revisores... Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 37, 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ptp/a/GPbGdLtrXB8phNJFHyGNHpF/?format=pdf〈=pt. Acesso em: 27 nov. 2021.

KOCH, Ingedore Villaça. A inter-ação pela linguagem. São Paulo: Contexto, 2004.

JOB, Ivone; MATTOS, Ana Maria; TRINDADE, Alexandre. Processo de revisão pelos pares: por que não rejeitados os manuscritos submetidos a um periódico científico? Movimento, v. 15, n. 3, p. 35-55, 2009. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/22737?locale=en. Acesso em: 27 nov. 2021.

MOSCA, Lineide do Lago Salvador. Velhas e Novas Retóricas: Convergências e desdobramentos. In: MOSCA, Lineide do Lago Salvador (org.). Retóricas de ontem e de hoje. 2. ed. Humanitas: São Paulo, 2001. p. 17-54.

NEVES, Maria Helena de Moura. Texto e Gramática. São Paulo: Contexto, 2006.

PEREIRA, Rodrigo Albuquerque. Um estudo de polidez no contexto de L2: estratégias de modalização de atos impositivos por falantes de espanhol. 2015. 372f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade de Brasília, Brasília, 2015.

PERELMAN, Chaïm; OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado da argumentação: a nova retórica. Tradução: Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2017.

PLATÃO. Górgias. Livro de domínio público, 2015.

QUINTILIANO, Marco Fabio. Instituiciones oratorias. Tradução: Ignacio Rodríguez e Pedo Sandier. Madrid: Moris Polanco, 2015.

SEIDE, Márcia Sipavicius. Projeto de extensão Clube de escrita. Universidade Estadual do Oeste do Paraná, 2020.

SEIDE, Márcia Sipavicius. Clube de escrita. XX SEU. Anais [...]. 2021a. Disponível em: https://www.unioeste.br/portal/arq/files/eventos/seu/anais/XX_SEU_Anais-atual.pdf. Acesso em 01 ago. 2021.

SEIDE, Márcia Sipavicius. Projeto de extensão Clube de Leitura e Escrita em Onomástica. Universidade Estadual do Oeste do Paraná, 2021b.

SEIDE, Márcia Sipavicius Os ethé do parecerista de pareceres publicados na revista Encontros Bibli. Revista do GELNE, v. 23, n. 2, p. 176-190, 2021c. Disponível em https://doi.org/10.21680/1517-7874.2021v23n2ID23823. Acesso em: 06 ago. 2021.

TRZESNIAK, Piotr; PLATA-CAVIEDES. Tatiana; CÓRDOBA-SALGADO Oscar, Alejandro. Qualidade de conteúdo: o grande desafio para os editores científicos. Revista Colombiana de Psicología, Bogotá, v. 21, n. 1, p. 57-78, 2012. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/804/80424036005.pdf. Acesso em: 27 nov. 2021.

VASCONCELLOS, Vinicius Gomes de. Editorial: controle por pares e a função do revisor- premissas e orientações para uma avaliação consistente. Revista Brasileira de Direito Processual Penal, Porto Alegre, vol. 3, n. 2, p. 437-458, 2017. Disponível em: https://revista.ibraspp.com.br/RBDPP/article/view/70. Acesso em: 27 nov. 2021.

Publicado
2021-12-31
Como Citar
Bini, R., & Seide, M. (2021). A formação do parecerista de artigos científicos: um estudo de caso. Revista Eletrônica De Estudos Integrados Em Discurso E Argumentação, 21(3), 17 - 37. https://doi.org/10.47369/eidea-21-3-3181
Seção
Artigos