O aspecto negativo na semântica argumentativa: análise do gênero meme e construção de blocos semânticos

Palavras-chave: Teoria da Argumentação na Língua, Teoria dos Blocos Semânticos, Meme Chico Buarque

Resumo

Este artigo trata da aplicação de conceitos da Teoria da Argumentação na Língua (TAL), de Ducrot (1990) e colaboradores, mais especificamente no que se refere a Teoria dos Blocos Semânticos (TBS). O objetivo é descrever o funcionamento semântico do texto humorístico com a construção dos encadeamentos argumentativos que demonstram o uso da negação no discurso. O marco teórico baseia-se em noções da Semântica Argumentativa de Ducrot (1990; 2005) e Carel (2005; 2008). A pesquisa é exploratória, bibliográfica, qualitativa e de caráter descritivo-analítico. O corpus é composto por um texto, conhecido como “meme de Chico Buarque”. Constamos que, pela abordagem semântico-argumentativa, o humor do texto é gerado a partir do contraponto entre aquilo que é posto pelo locutor e a expectativa do leitor, que reconstrói o discurso mediante o sentido negativo dado pelo meme.

Biografia do Autor

Neuzer Helena Munhoz Bavaresco, Universidade de Passo Fundo

Mestre em Letras pela Universidade de Passo Fundo e Especialista em ensino e aprendizagem de Língua Espanhola pela mesma instituição. Possui graduação em Letras (português e espanhol) pela UPF. Tem experiência na área de Letras com ênfase em Português, Literatura e língua espanhola. Atualmente é doutoranda no Programa de Pós Graduação em Letras da UPF, com ênfase em constituição e interpretação do texto e do discurso.

Ernani Cesar de Freitas, Universidade de Passo Fundo

Pós-doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem - PUC-SP/LAEL (2011); Doutor em Letras, área de concentração Lingüística Aplicada (PUCRS/2006); Mestre em Lingüística Aplicada pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS/2002). Possui graduação em LETRAS - Português/Inglês e respectivas Literaturas, pelo Centro Universitario La Salle (1999). Experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa e Linguística Aplicada, nos temas relacionados à linguagem e trabalho, texto e discurso, leitura e formação do leitor; na área da Comunicação e cultura: comunicação socio-organizacional, cultura e identidade. Cursou MBA Gestão Empresarial na UFRGS e MBA Executivo na FGV-RJ. Professor (Titular) de Ensino Superior na Universidade Feevale, Programa de Pós-graduação em Processos e Manifestações Culturais, e professor permanente no PPG em Letras na Universidade de Passo Fundo (RS). Integrante de conselhos editorias e parecerista ad hoc de revistas acadêmicas. Membro da Associação de Linguística Aplicada do Brasil (ALAB), da Associação Brasileira de Linguística (ABRALIN); da Asociación Latinoamericana de Estudios del Discurso (ALED); da Asociación de Lingüística y Filología de América Latina (ALFAL); da Association Analyse des Discours de l?Amérique Latine (ADAL/Paris); coordenador (2018-2020) e participante efetivo do GT ANPOLL- Discurso, Trabalho e Ética. Trabalhou como funcionário do Banco do Brasil no período de janeiro/1975 a outubro/2002, onde exerceu diversos cargos comissionados na área da gestão; possui experiência como consultor organizacional em empresas e bancos, principalmente em unidades do Banco do Brasil no país e no exterior.

Referências

CAREL, Marion; DUCROT, Oswald. La semántica argumentativa: una introducción a la teoría de los Bloques Semánticos. Tradução: María Marta Negroni y Alfredo M. Lescano. Buenos Aires: Colihue, 2005. p. 11-90.

CAREL, Marion; DUCROT, Oswald. Descrição argumentativa e descrição polifônica: o caso da negação. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 43, n. 1, p. 7-18, 2008.

CHICO Buarque de Hollanda. Intérprete: Chico Buarque de Hollanda. São Paulo: RGE Discos, 1966. 1 disco vinil.

CORTIVO-LEBLER, Cristiane Dall; SILVA, Adilson Ventura da. Subjetividade e ironia: breve discussão e análise. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 50, n. 3, p. 316-324, 2015.

DUCROT, Oswald. Polifonía y argumentación. Conferencias del seminario Teoría de la Argumentación y Análisis del Discurso. Cali: Universidad del Valle, 1990.

DUCROT, Oswald. Os topoi na “Teoria da Argumentação na língua”. Revista Brasileira de Letras, São Carlos, v. 1, n. 1, p. 1-11, 1999.

DUCROT, Oswald. Os internalizadores. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 37, n. 129, p. 7-26, 2002.

DUCROT, Oswald. Esboço de uma Teoria Polifônica da Enunciação. In: DUCROT, Oswald. O Dizer e o Dito. Tradução: Eduardo Guimarães. Campinas: Pontes, 1987. p. 161-218.

FREITAS, Ernani César de. Semântica argumentativa: a construção do sentido no discurso. Novo Hamburgo: Feevale, 2007.

GOMES, Lauro. Como avaliar a semântica do texto? Uma proposta para a avaliação de redações orientada pela semântica argumentativa. São Carlos: Pedro & João Editores, 2017.

RAMALHO, Diogo. Memes do dia. Humor Político. Disponível em: https://www.humorpolitico.com.br/diogo-ramalho/memes-do-dia-4. Acesso em: 04 nov. 2018

Publicado
2021-10-07
Como Citar
Bavaresco, N. H., & de Freitas, E. (2021). O aspecto negativo na semântica argumentativa: análise do gênero meme e construção de blocos semânticos. Revista Eletrônica De Estudos Integrados Em Discurso E Argumentação, 21(2), 107 - 122. https://doi.org/10.47369/eidea-21-2-3132
Seção
Artigos