A ciclicidade distópica em Sob os pés, meu corpo inteiro, de Márcia Tiburi

o presente que revisita o passado

  • Luana de Carvalho Krüger UFPel
  • Eduardo Marks de Marques

Resumo

Sob os pés, meu corpo inteiro (2018), de Márcia Tiburi, é uma distopia que conta a história de Alice, uma mulher que foi torturada durante a ditadura militar, apesar de não ter envolvimento direto com os movimentos políticos e que vive a sombra da história de sua irmã, Adriana. Alice, ao encontrar com Betina, filha de sua irmã, começa a relembrar o que viveu. Nesse cenário de memórias da tortura sofrida no período da ditadura militar, a personagem também nos apresenta uma São Paulo distópica, em que problemas políticos e ambientais são cada vez mais presentes, tornando insustentável viver lá e se aproximando, em alguns aspectos, de um espaço de repressão social. Esse trabalho procura entender como a relação presente, passado e futuro podem relevar a distopia que é presente, mas por vezes, difícil de ser identificada.

Publicado
2021-08-31
Seção
Artigos vários