Logos, ethos e pathos como estratégias argumentativas

Análise de uma notícia do Diário de Pernambuco

Palavras-chave: Argumentação, Ethos, Pathos, Logos

Resumo

Partindo do pressuposto de que a argumentação é uma dimensão inerente a todo discurso, este artigo tem por objetivo analisar como ela se dá pela mobilização do logos, do ethos e do pathos através da seleção de itens lexicais considerando todo o contexto em que tais itens se encontram. Para tanto, foram adotados os pressupostos teóricos da Teoria da Argumentação no Discurso proposta por Amossy (2011, 2017, 2020). Do ponto de vista metodológico, foi realizada uma pesquisa de natureza qualitativa em que foi analisada uma notícia publicada no jornal Diário de Pernambuco. A análise permitiu constatar que a argumentação foi sendo construída ao longo de todo o discurso através da mobilização das três provas retóricas, que se deu pela seleção lexical. E essa seleção evidenciou a força e o direcionamento argumentativo na notícia analisada.

Referências

ADAM, Jean Michel. Textos: tipos e protótipos. Tradução: Mônica Magalhães Cavalcante et. al. São Paulo: Contexto, 2019.

AMOSSY, Ruth (org.). Imagens de si no discurso: a construção do ethos. Tradução: Dilson Ferreira et al. São Paulo: Contexto, 2005.

AMOSSY, Ruth. Apologia da polêmica. Coordenação da tradução: Mônica Magalhães Cavalcante. Tradução: Rosalice Pinto et al. São Paulo: Contexto, 2017.

AMOSSY, Ruth. Argumentação e análise do discurso: perspectivas teóricas e recortes disciplinares. Tradução: Eduardo Lopes Piris e Moisés Olímpio Ferreira. EID&A – Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação, IIhéus, n. 1, p. 129-144, nov. 2011. Disponível em: http://periodicos.uesc.br/index.php/eidea/article/view/389/395. Acesso em: 02 set. 2021.

AMOSSY, Ruth. Argumentação no discurso. Coordenação da tradução: Eduardo Lopes Pires e Moisés Olímpio-Ferreira. Tradução: Angela M. S. Corrêa et al. São Paulo: Contexto, 2020.

ARISTÓTELES. Retórica. Tradução: Manuel Alexandre Júnior, Paulo Farmhouse Alberto e Abel do Nascimento Pena. 2. ed. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1998.

CONFORTE, André. Argumentação na perspectiva da iconicidade verbal. Caderno Seminal Digital, Rio de Janeiro, v. 1. n. 26, p. 49-76, 2016. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/cadernoseminal/article/view/27178/19663. Acesso em: 15 set. 2021.

“SESSÃO DE TORTURA” causou morte de Henry. Diário de Pernambuco [online], Pernambuco, 09 abr. 2021. Brasil. Disponível em: http://www.impresso.diariodepernambuco.com.br. Acesso em: 22 de set. de 2021.

MAINGUENEAU, Dominique. Le contexte de l´oeuvre littéraire. Paris: Dunod, 1993.

MARQUES, Maria Aldina. Argumentação e(m) discursos. In: DUARTE, Isabel Margarida; FIGUEIREDO, Olívia (orgs.). Português, linguagem e ensino. Porto: Universidade do Porto Editorial, 2011.

PLANTIN, Christian. L’argumentation: histoire, théories e perspectives. Paris: PUF, 2005.

VALENTE, André. Argumentação e textualidade em crônicas jornalísticas. In: VALENTE, André; PEREIRA, Maria Teresa G. Língua portuguesa: descrição e ensino. São Paulo: Parábola, 2011.

Publicado
2022-09-07
Como Citar
Alves, G. (2022). Logos, ethos e pathos como estratégias argumentativas. Revista Eletrônica De Estudos Integrados Em Discurso E Argumentação, 22(2), 56-72. https://doi.org/10.47369/eidea-22-2-3438
Seção
Artigos