Ethos discursivo e debate nos tribunais

Uma análise crítica da decisão de suspeição no caso Sérgio Moro

Palavras-chave: Ethos, Discursivo, Tribunal

Resumo

O artigo busca discutir a noção de ethos atribuído aplicado a debates de juízes na elaboração de decisões em Tribunais. O corpus de análise é constituído de um debate ocorrido no Plenário Virtual do Supremo Tribunal Federal, entre os Ministros Enrique Ricardo Lewandowski e Luis Roberto Barroso, durante o julgamento de recurso ajuizado em razão do reconhecimento da suspeição do ex-juiz Sérgio Moro no processo em que este condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por crimes de corrupção passiva e ocultação de patrimônio. Além da revisão bibliográfica dos conceitos, realizou-se a análise qualitativa da transcrição do debate. Justifica-se o trabalho em razão da necessidade de ampliação de estudos sobre as estratégias discursivas utilizadas por magistrados durante a interação em julgamentos colegiados, campo ainda pouco explorado, malgrado o discurso jurídico ocupar uma posição de destaque na academia há longo tempo.

Referências

AMOSSY, Ruth. O ethos na interseção das disciplinas: retórica, pragmática, sociologia doscampos. In: AMOSSY, Ruth (org.). Imagens de si no discurso: a construção do ethos. São Paulo: Contexto, 2016.

ANDRADE, Maria Lúcia C.V.O.; AQUINO, Zilda; FÁVERO, Leonor Lopes. O par dialógico pergunta-resposta. In: JUBRAN, Clélia Spinardi (org.). A construção do texto falado. Gramática do Português culto falado no Brasil. São Paulo: Contexto, 2021.

ARISTÓTELES. Retórica. São Paulo: Edipro, 2011.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso Político. São Paulo: Contexto, 2006.

CHARAUDEAU, Patrick; MAINGUENEAU, Dominique. Dicionário de análise do discurso. In: Dicionário de análise do discurso. São Paulo: Contexto, 2014.

DAMASCENO-MORAIS, Rubens. A pré-estase como “preparação do terreno” em deliberações jurídicas. In: PINTO, Rosalice; CABRAL, Ana Lúcia Tinoco; RODRIGUES, Maria das Graças Soares (orgs.). Linguagem e Direito. Perspectivas teóricas e práticas. São Paulo: Contexto, 2016.

EGGS, Ekkehard. Ethos aristotélico,convicção e pragmática moderna. In: AMOSSY, Ruth (org.). Imagens de si no discurso: a construção do ethos. São Paulo: Contexto, 2016.

FAIRCLOUGH, Norman. Language and power. New York: Longman Group, 1989.

GOFFMAN, Erving. A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis: Vozes, 1985.

GOFFMAN, Erving; KIHM, Alain. Les rites d’interaction. Paris: Ed. de minuit, 1974.

MAINGUENEAU, Dominique. Ethos,cenografia e incorporação. In: AMOSSY,R (org.). Imagens de si no discurso: a construção do ethos. São Paulo: Contexto, 2005. p. 69-92.

MAINGUENEAU, Dominique. A propósito do ethos. In: MOTTA, Ana Raquel; SALGADO, Luciana (orgs.). Ethos discursivo. São Paulo: Contexto, 2006. p. 11-29.

MAINGUENEAU, Dominique. Retorno crítico à noção de ethos. Letras de hoje, v. 53, n. 3, p. 321-330, 2018. DOI: http://doi.org/10.15448/1984-7726.2018.3.32914. Acesso em: 12 jun. 2021.

MAINGUENEAU, Dominique. Variações sobre o ethos. São Paulo: Parábola, 2020.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. A repetição na língua falada como estratégia de formulação textual. In: KOCH, Ingedore (org.). Gramática do Português Falado, Vol. VI: Desenvolvimentos. Campinas: Ed.UNICAMP; São Paulo: FAPESP, 1996.

MESTI, Paula C.; BARONAS, Roberto L. A (re)construção do ethos discursivo: reflexões sobre as imagens de si em sujeitos em interação. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, v. 61, p. 1-13, 2019. DOI: https://doi.org/10.20396/cel.v61i0.8655025. Acesso em: 12 jun. 2021.

MEYER, Michel. A retórica. São Paulo: Ática, 2007.

MIRANDA, Daniela da Silveira. Discurso jurídico: constituição do ethos e orientação argumentativa. Tese de Doutorado. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2011. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8142/tde-23052012-134722/pt-br.php. Acesso em: 12 jun. 2021.

PERELMAN, Chaïm. Lógica jurídica. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

PERELMAN, Chaïm; OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado da Argumentação. A Nova Retórica. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

PLANTIN, Christian. L’argumentation dans l’émotion. Pratiques, v. 96, n. 1, p. 81-100, 1997.

Disponível em: https://www.persee.fr/doc/prati_0338-2389_1997_num_96_1_2475. Acesso em: 12 jun. 2021.

POSSENTI, Sírio. Ethos atribuído por enunciadores (Ethos assigned by enunciators). Estudos da Língua(gem), v. 18, n. 3, p. 3-14, 2020. DOI: http://doi.org/10.22481/el.v18i3.7931.

PRETI, Dino; URBANO, Hudinilson (orgs.). A linguagem falada culta na cidade de São Paulo. São Paulo: T. A. Queiroz; Fapesp, 1990. v. 4.

Publicado
2022-09-07
Como Citar
Nogueira, A. J. (2022). Ethos discursivo e debate nos tribunais. Revista Eletrônica De Estudos Integrados Em Discurso E Argumentação, 22(2), 17-34. https://doi.org/10.47369/eidea-22-2-3399
Seção
Artigos