Movimentos discursivos da argumentação e processos cognitivos da aprendizagem significativa no mapeamento conceitual

Palavras-chave: Justificação, Negociação de perspectivas, Diferenciação progressiva, Reconciliação integrativa

Resumo

A argumentação é uma organização discursiva específica em que movimentos de justificação e negociação de perspectivas são observados. Por outro lado, a negociação de ideias também é marca da aprendizagem significativa, caracterizada pela ocorrência dos processos cognitivos de diferenciação progressiva e reconciliação integrativa. Esse artigo é parte de um estudo que se propôs a investigar a relação entre os movimentos discursivos da argumentação e os processos cognitivos da aprendizagem significativa no decurso de mapeamentos conceituais. Observamos a elaboração de mapas conceituais por dois estudantes de licenciatura em física do Centro Acadêmico do Agreste da Universidade Federal de Pernambuco em duas situações distintas: 1) na elaboração de mapas conceituais individuais e 2) na elaboração de um mapa conceitual coletivo. Essas observações foram videogravadas, transcritas e analisadas. A partir delas, encontramos indícios de que os movimentos discursivos da argumentação têm o potencial de evocar e manter os processos cognitivos da aprendizagem significativa.

Biografia do Autor

Sylvia De Chiaro, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Brasil

 

 

Referências

AGUIAR, Joana Guilares; CORREIA, Paulo Rogério Miranda. From representing to modelling knowledge: Proposing a two-step training for excellence in concept mapping. Knowledge Management & E-Learning. v. 9, n. 3, p. 366-379, 2017.

AQUINO, Kátia Aparecida da Silva; DE CHIARO, Sylvia. Uso de Mapas Conceituais: percepções sobre a construção de conhecimentos de estudantes do ensino médio a respeito do tema radioatividade. Ciências e Cognição, v. 18, n. 2, p. 158-171, 2013. Disponível em: http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/854. Acesso: 6 jun. 2022.

ARAÚJO, Nelci Reis Sales de. Mapas conceituais como estratégia de avaliação. Semina: Ciências Exatas e Tecnológicas. v. 28, n. 1, p. 47-54, 2007. Disponível em: https://www.uel.br/revistas/uel/index.php/semexatas/article/download/1883/1587. Acesso em: 26 mai. 2022.

AUSUBEL, David et al. Teoría del aprendizaje significativo. Fascículos de CEIF, v. 1, p. 1-10, 1983.

AUSUBEL, David. Aquisição e retenção de conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Plátano Edições Técnicas, v. 1, 2003.

CAÑAS, Alberto J. et al. CmapTools: A knowledge modeling and sharing environment. In: PROCEEDINGS OF THE FIRST INTERNATIONAL CONFERENCE ON CONCEPT MAPPING, 1, 2004, Pamplona, Anais […]. Dirección de Publicaciones de la Universidad Pública de Navarra, 2004. p. 125-133. Disponível em: http://cmc.ihmc.us/cmc2004Proceedings/cmc2004%20-%20Vol%201.pdf. Acesso em: 26 maio. 2022.

CAÑAS, Alberto; REISKA, Priit. What are my student learning when they concept map. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON CONCEPT MAPPING, 8, 2018, Medellín, Procedings [...]. Institute for Human and Machine Cognition, Tallinn University, 2018. p. 289-299. Disponível em: https://cmc.ihmc.us/cmc-2018/. Acesso em 26 maio. 2022.

CAÑAS, Alberto; REISKA, Priit; MÖLLITS, Aet. Developing higher-order thinking skills with concept mapping: A case of pedagogic frailty. Knowledge Management & E-Learning. v. 9, n. 3, p. 348-365, 2017.

CHAFE, Wallace; NICHOLS, Johanna. Evidentiality: The linguistic coding of epistemology. Norwood, NJ: Ablex Publishing Corporation, 1986.

DE CHIARO, Sylvia; LEITÃO, Selma. O papel do professor na construção discursiva da argumentação em sala de aula. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 18, n. 3, p. 350-357, 2005.

DE CHIARO, Sylvia. Argumentação em sala de aula: um caminho para o desenvolvimento da auto-regulação do pensamento. 2006. Tese (Doutorado em Psicologia Cognitiva) – CFCH, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.

DE CHIARO, Sylvia; AQUINO, Kátia Aparecida da Silva; LIMA, Raquel Cordeiro Nogueira. A argumentação presente na construção de mapas conceituais como propulsora de uma Aprendizagem Significativa Crítica. Revista Dynamis, v. 25, n. 3, p. 68-85, 2019.

ERICSSON, Karl Anders; SIMON, Herbert Alexander. Protocol analysis: verbal reports as data. MIT Press, 1993.

FERREIRA, Luana Lemos; LOPES, Carlos Antônio da Silva; VASCONCELOS, Danilo Monteiro. A argumentação como estratégia didática que potencializa a aprendizagem significativa no ensino de ciências e matemática. In: VI ENCONTRO NACIONAL DE APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA (ENAS), 6., 2016, São Paulo, Anais [...]. São Paulo, 2016. p. 684 - 690.

JASPERS, Monique et al. The think aloud method: a guide to user interface design. International Journal of Medical Informatics, v. 73, p. 781-795, 2004.

KOCH, Ingedore Villaça. A inter-ação pela linguagem. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2000.

LEITÃO, Selma. The potential of argument in knowledge building. Human development, v. 43, n. 6, p. 332-360, 2000

LEITÃO, Selma. O lugar da argumentação na construção do conhecimento em sala de aula. argumentação na escola: o conhecimento em construção. Campinas: Pontes, 2011. p. 13-46.

LEITÃO, Selma et al. Desenvolvimento de competências argumentativas no ensino superior: discussão de uma experiência-piloto. Educação em foco, ed. esp., p. 87-100, 2012.

LIMA, Rayssa Suane de Araújo et al. A construção da aprendizagem significativa crítica através do uso da argumentação. In: ENCONTRO NACIONAL DE APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA (ENAS), 6, 2016, São Paulo, Anais [...]. São Paulo: 2016. p. 102-111.

LIMA, Josiel Albino et al. Avaliação da aprendizagem em química com uso de mapas conceituais. Revista Thema, v. 14, n. 2, p. 37-49, 2017. Disponível em: https://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/422/349. Acesso em: 22 maio. 2022.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Análise da Conversação. 5. ed. São Pauto. Ática, 1999.

MOREIRA, Marco Antônio. Mapas conceituais como instrumentos para promover a diferenciação conceitual progressiva e a reconciliação integrativa. Ciência e Cultura, v. 32, n. 4, p. 474-479, 1980.

MOREIRA, Marco Antônio. Aprendizagem significativa crítica. In: ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA, 3. Lisboa, 2000. Disponível em: http://www.mlrg.org/memberpublications/LivroPeniche2000.pdf. Acesso em: 26 maio. 2022.

MOREIRA, Marco Antônio. Aprendizaje significativo crítico (Critical meaningful learning). Indivisa: Boletín de estúdios e investigación, n. 6, p. 83-102, 2005. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=77100606. Acesso em: 26 maio. 2022.

MOREIRA, Marco Antônio. Mapas conceituais e aprendizagem significativa (concept maps and meaningful learning). Aprendizagem significativa, organizadores prévios, mapas conceituais, diagramas V e Unidades de ensino potencialmente significativas, 2012. Disponível em: https://lief.if.ufrgs.br/pub/cref/pe_Goulart/Material_de_Apoio/Referencial%20Teorico%20-%20Artigos/Mapas%20Conceituais%20e%20Aprendizagem%20Significativa.pdf. Acesso em: 26 maio. 2022.

NOVAK, Joseph D.; CAÑAS, Alberto J. A teoria subjacente aos mapas conceituais e como elaborá-los e usá-los. Práxis Educativa, v. 5, n. 1, p. 9-29, 2010. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/1298. Acesso em: 26 maio. 2022.

NOVAK, Joseph D.; GOWIN, D. Bob. Aprender a aprender. Lisboa: Plátano, 1984.

NYSTRAND, Martin. Dialogic Instruction: When Recitation Becomes Conversation. In: NYSTRAND, Martin. et al. Opening Dialogue: understanding the Dynamics of Language and Learning in the English Classroom. Williston: Teachers College Press, 1997. p. 1-29.

REISKA, Priit; SOIKA, Katrin; CAÑAS, Alberto J. Using concept mapping to measure changes in interdisciplinary learning during high school. Knowledge Management & E-Learning: Na International Journal (KM&EL), v. 10, n. 1, p. 1-24, 2018. Disponível em: http://www.kmel-journal.org/ojs/index.php/online-publication/article/view/25. Acesso em: 26 maio. 2022.

SANTA-CLARA, Angela Oliveira; LEITÃO, Selma. Escrita como Fórum Dialógico-Argumentativo de Constituição do Conhecimento. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 24, n. 2, p. 394-402, 2009.

SANTOS, Lívia da Silva dos; DE CHIARO, Sylvia. O processo argumentativo na construção de mapas conceituais e suas relações com a aprendizagem significativa crítica no ensino de ciências. In: XI ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS (ENPEC), 11, 2017, Florianópolis, Anais [...] Florianópolis: ABRAPEC, 2017. p. 1–10.

SCHIFFRIN, Deborah. Discourse markers. Cambridge University Press, 1992.

VAN SOMEREN, Maarten. W.; BARNARD, Yvonne; SANDBERG, Jacobijn. The think aloud method: a practical guide to modelling cognitive processes. London: Academic Press, 1994. v.11.

Publicado
2022-06-15
Como Citar
dos Santos, L., De Chiaro, S., & Calligaris Rodrigues, K. (2022). Movimentos discursivos da argumentação e processos cognitivos da aprendizagem significativa no mapeamento conceitual. Revista Eletrônica De Estudos Integrados Em Discurso E Argumentação, 22(1), 61-81. https://doi.org/10.47369/eidea-22-1-3345
Seção
Artigos