Modalizadores discursivos e argumentatividade no gênero procuração

Palavras-chave: Procuração, Modalizadores Discursivos, Modalização, Argumentação

Resumo

Esta pesquisa tem por objetivo descrever e analisar o funcionamento semântico-argumentativo e enunciativo da modalização discursiva do gênero Procuração. Para fundamentar a investigação, adotamos a concepção da Argumentação na Língua, postulada por Ducrot e colaboradores (1987 e 1988), da Modalização Discursiva, proposta por Koch (2002), Castilho e Castilho (1993), AUTOR e Silva (2012), entre outros. O corpus desta investigação é composto por dez exemplares de Procurações Públicas. E com a análise do corpus observamos que os modalizadores mais recorrentes no gênero foram os: delimitadores, utilizados pelo locutor para especificar as ações que o outorgado poderá fazer em nome do outorgante; os deônticos, como o de obrigatoriedade, apresentando um tom de dever, de instrução para o interlocutor; os epistêmicos asseverativos, utilizados para expressar o conteúdo do enunciado como verdadeiro; e os avaliativos, geralmente utilizados pelo locutor para expressar a sua avaliação acerca do reconhecimento das partes envolvidas para elaboração da Procuração.

Biografia do Autor

Erivaldo Pereira do Nascimento, Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Brasil

 

 

Janaína Melo da Silva, Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Brasil

 

 

 

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Tradução: Maria Ermantina Galvão. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

BRASIL. Código Civil. Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002.

CASTILHO, Ataliba Teixeira de, CASTILHO, Célia Maria Moares de. Advérbios modalizadores. In: ILARI, Rodolfo (Org). Gramática do português falado. v. II: Níveis de Análise Linguística. 4. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2002.

CERVONI, Jean. A enunciação. São Paulo: Ática, 1989.

DUCROT, Oswald. O dizer e o dito. Tradução: Eduardo Guimarães. Campinas: Pontes, 1987.

DUCROT, Oswald. Polifonia y Argumentación: Conferencias del Seminario Teoria de La Argumentación y Análisis del Discurso. Cali: Universidad del Valle, 1988.

LUGLI, Viviane Cristina Polleto. Um estudo de verbos de dizer e de verbos modais em traduções e versões: Contributos ao ensino de espanhol para o profissional de Secretariado Executivo. Revista Expectativa, Toledo, v. 19, n. 2, p. 92-117, jul./dez., 2020. Disponível em: http://saber.unioeste.br/index.php/expectativa/article/view/24594. Acesso em: 12 dez. 2020.

MAMAN, Tobias Scheffer de. Poderes do Sócio representação: a Procuração em Causa Própria aplicada a Quotas de Sociedades Limitadas. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2010. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/27077. Acesso em: 10 dez. 2020.

MARTINS, Sheila Luft. Breves apontamentos sobre a procuração. Revista âmbito jurídico. São Paulo, 2010. Disponível em: https://ambitojuridico.com.br/cadernos/direito-civil/breves-apontamentos-sobre-a-procuracao/. Acesso em: 10 dez. 2020.

NASCIMENTO, Erivaldo Pereira do; SILVA, Joseli Maria. O fenômeno da modalização: estratégia semântico-argumentativo e pragmático. In: NASCIMENTO, Erivaldo Pereira do (org). A argumentação na redação comercial oficial: estratégias semânticas-discursivas em gêneros formulaicos. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2012. p. 63-100.

NASCIMENTO, Erivaldo Pereira do. Gêneros textuais e ensino. In: PEREIRA, Regina Celi Mendes (Org.). A didatização de gêneros no contexto de formação continuada em EAD. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2012.

NASCIMENTO, Erivaldo Pereira do. Jogando com as vozes do outro: a polifonia - recurso modalizador - na Notícia Jornalística. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa, 2006.

NOGUEIRA, Simone Baccarini. Procuração particular e pública. Universidade Federal de Minas Gerais, 2017. Atualizado em seus itens 2 e 9.1 por Cinthia Mara Oliveira e Souza Administradora na Assessoria Técnica do DAP,12/03/2018. Disponível em: https://www.ufmg.br/prorh/wp-content/uploads/2018/03/Informativo-DAP-01-Procuracao-particular-e-Publica-v03.pdf. Acesso em: 20 dez. 2020.

PERELMAN, Chaim. O império retórico: retórica e argumentação. Tradução: Fernando Trindade e Rui Alexandre Grácio. 2. ed. Lisboa: Asa Editores, 1999.

SANTOS, Íris Gomes dos. Manual de redação de documentos. Universidade Federal da Bahia: Salvador, 2005. Disponível em: http://www.dasecretariado.ufba.br/ManualdeElabora%C3%A7%C3%A3odeDocumentos.pdf. Acesso em: 14 dez. 2020.

SOUZA, Regina Maria Cerqueira de. A importância da linguagem direta e clara no texto jurídico. Faculdade de Educação São Luís: Jaboticabal, 2010. Disponível em: https://www2.jf.jus.br/pergamumweb/vinculos/00001e/00001ea1.pdf. Acesso em: 20 dez. 2020.

Publicado
2022-06-15
Como Citar
Pereira do Nascimento, E., & Melo da Silva, J. (2022). Modalizadores discursivos e argumentatividade no gênero procuração. Revista Eletrônica De Estudos Integrados Em Discurso E Argumentação, 22(1), 1-21. https://doi.org/10.47369/eidea-22-1-3215
Seção
Artigos