Argumentação e Nova Retórica: O Orador Fidel Castro e o(s) auditório(s) em La historia me absolverá

Palavras-chave: Argumentação retórica., Nova Retórica., Auditório e éthos., La historia me absolverá

Resumo

A argumentação retórica pressupõe um vínculo indissociável entre o orador e seu auditório. Ressaltando que os estudos da argumentação podem ser observados a partir de várias vertentes teóricas, o presente trabalho se propôs a analisar, à luz da Nova Retórica de Perelman e Olbrechts-Tyteca (2014 [1958]), processos argumentativos em La historia me absolverá, considerando o ethos de seu orador e a que auditório(s) se dirige. Para tanto, buscou-se apresentar uma breve discussão teórico-interpretativa sobre o ethos e o auditório em Nova Retórica, e, com base nisso, analisar o ethos de Fidel Castro no discurso objeto de análise bem como identificar seu(s) auditório(s). Desse modo, foram colacionados alguns excertos desse discurso para amparar e/ou reforçar as análises. Assim, a partir da verificação desses conceitos teóricos aplicados ao corpus selecionado, este artigo desenvolve conceitos inerentes a argumentação retórica ao passo em que os explica no discurso de autodefesa do orador Fidel Castro.

Biografia do Autor

Lorraine Souza Pereira, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Mestre e doutoranda em Letras pelo PPG em Letras da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte.

Gilton Sampaio Souza, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Docente permanente do PPGL/UERN e do PROFLETRAS (Mestrado Profissional) Unidade Pau dos Ferros.

Referências

ABREU, Antônio Suaréz. A arte de argumentar – gerenciando razão e emoção. 10. ed. Cotia: Ateliê Editorial, 2007.

AMOSSY, Ruth. (org.). Imagens de si no discurso: a construção do ethos. Tradução: Dilson Ferreira da Cruz, Fabiana Komesu e Sírio Possenti. 2.ed. São Paulo: Contexto, 2014.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. Tradução: Pietro Nassetti. São Paulo: Martin Claret, 2003.

ARISTÓTELES. Retórica. Tradução: Edson Bini. 1. reimp. São Paulo: Edipro, 2013.

ARZE, Reginaldo Ustariz. O assalto ao quartel Moncada e a história me absolverá. São Paulo: Ed.Brasbol, 2008.

EGGS, Ekkehard. Ethos aristotélico, convicção e pragmática moderna. In: AMOSSY, Ruth. (org.). Imagens de si no discurso: a construção do ethos. Tradução: Dilson Ferreira da Cruz, Fabiana Komesu e Sírio Possenti. São Paulo: Contexto, 2014. p. 29-56.

LIMA, Edmar Peixoto de. O Ethos de professores universitários em discursos sobre o ensino de Língua Portuguesa. 2011. 190p. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Pau dos Ferros, 2011.

LOPES, Fátima Marlise Marroni Rosa. A revolução cubana. Revista de Ciências Humanas. Vol. 6. 2005. Disponível em: http://revistas.fw.uri.br/index.php/revistadech/article/view/257. Acesso em: 20 de out. de 2016.

MAINGUENEAU, Dominique. A propósito do ethos. In: MOTTA, Ana Raquel; SALGADO, Luciana (org). Ethos discursivo. São Paulo: Contexto, 2008. p. 11-29.

MAINGUENEAU, Dominique. Ethos, cenografia e incorporação. In: AMOSSY, Ruth. (org.). Imagens de si no discurso: a construção do ethos. Tradução: Dilson Ferreira da Cruz, Fabiana Komesu e Sírio Possenti. São Paulo: Contexto, 2014. p. 69-92

MANELI, Miecsyzlaw. A nova retórica de Perelman – Filosofia e metodologia para o século XXI. Tradução: Mauro Raposo de Mello. Barueri: Manole, 2004.

MOSCA, Lineide do Lago Salvador (org.). Retóricas de ontem e de hoje. São Paulo: Humanitas, 1999.

PACHECO, Gustavo de Brito Freire. Retórica e nova retórica: a tradição grega e a teoria da argumentação de Chaïm Perelman. Revista Buscalegis.ccj.ufscbr. 2011. Disponível em: http://www.egov.ufsc.br/portal/sites/default/files/anexos/25334-25336-1-PB.pdf. Acesso em: mar. de 2017.

PERELMAN, Chaïm. Retóricas. 2. ed. Tradução: Maria Ermantina de Almeida Prado Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

PERELMAN, Chaïm; OLBRECHTS-TYTECA, LUCIE. Tratado da argumentação: a nova retórica. Tradução: Maria Ermantina de Almeida Prado Galvão. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

PLANTIN, Christian. Um modelo dialogal. Tradução: Marcos Marcionilo. In: PLANTIN, Christian. A argumentação: história, teorias, perspectivas. São Paulo: Parábola Editorial. 2008. p. 63-87.

RUZ, Fidel Castro. La historia me absolverá. 5. reimp. La Havana: Editorial de ciencias sociales, 2007.

Publicado
2021-10-07
Como Citar
Pereira, L., & Souza, G. (2021). Argumentação e Nova Retórica: O Orador Fidel Castro e o(s) auditório(s) em La historia me absolverá. Revista Eletrônica De Estudos Integrados Em Discurso E Argumentação, 21(2), 142 - 160. https://doi.org/10.47369/eidea-21-2-3136
Seção
Artigos