Palavra dita é flecha lançada: ato jurídico e linguagem em Oswald Ducrot

Palavras-chave: ato jurídico, pressuposição, enunciação, Semântica Argumentativa

Resumo

Este artigo retoma a crítica de Paul Henry sobre a noção de ato jurídico ducrotiana, apresentado pelo autor à guisa de exemplos estranhos à espessura linguístico-argumentativa deste fenômeno. Nosso objetivo é debruçar-se sobre uma abordagem argumentativa do fenômeno semântico nomeado de ato jurídico, refinamento que escapou a Henry, e que o levou a desconsiderar o potencial de ressignificação (semântico-transformador) na língua e na enunciação. Procedimentalmente, descreveremos com maior acuidade teórica, e mais atentamente, as espessuras do ato jurídico linguístico. Enquanto resultados, trazemos à baila uma abordagem mais cuidadosa da noção de língua, em Ducrot, e uma ideia mais concisa sobre o estruturalismo enunciativo, área de saber em que se inscreve a contradição entre objeto real (sentido ducrotiano, próprio da língua em uso) e objeto de conhecimento (significação ducrotiana, própria da língua fora de uso) que funda a Semântica Argumentativa, objetos sem os quais a crítica henryana não se legitima.

Referências

BALLY, Charles; SECHEHAYE, Albert. Ferdinand de Saussure: Cours de Linguistique Générale. Paris: Payot, 1985.

BEHE, Louise; CAREL, Marion; DENUC, Corentin; MACHADO, Julio Cesar. Cours de Sémantique Argumentative. Pedro & João Editores, 2021, no prelo.

CAREL, Marion. L’entrelacement Argumentatif: lexique, discours et blocs sémantiques. Paris: Honoré Champion, 2011.

CAREL, Marion; RIBARD, Dina. L’acte de témoigner. Antares - Letras e Humanidades, v. 11, n. 23, p. 3-23, 2019.

DELOOR, Sandrine. Bref aperçu historique des travaux sur la présupposition. Langage, n. 186, v. 2, p. 3-20, 2012.

DUCROT, Oswald. Qu’est-ce que le structuralisme? Le Structuralisme en linguistique. Paris: Éditions du Seuil, 1968.

DUCROT, Oswald. Dire et ne pas dire. Principes de sémantique linguistique. Paris: Hermann, 1972.

DUCROT, Oswald. Dizer e não dizer: princípios de semântica linguística. Tradução: Carlos Vogt. São Paulo: Cultrix, 1977.

DUCROT, Oswald. Les echelles argumentatives. Paris: Les Editions de Minuit, 1980.

DUCROT, Oswald. O dizer e o dito. Revisão técnica da tradução: Eduardo Guimarães. Campinas: Pontes, 1987.

DUCROT, Oswald. Argumentação e “Topoi” argumentativos. In: GUIMARÃES, Eduardo. História e Sentido na Linguagem. Campinas: Pontes, 1989. p. 13-38.

DUCROT, Oswald; SCHAEFFER, Jean-Marie. Nouveau dictionnaire encyclopédique des sciences du langage. Paris: Éditions du Seuil, 1995.

GOMES, Lauro. Discurso artístico e argumentação. Campinas: Pontes, 2020.

HENRY, Paul. A ferramenta imperfeita: língua, sujeito e discurso. Campinas: Unicamp, 2013.

LEBLER. Cristiane Dall Cortivo. Pressupostos e subentendidos segundo a Teoria da Argumentação na Língua. Gragoatá, Niterói, n. 40, p. 295-316, 2016. Disponível em https://periodicos.uff.br/gragoata/article/view/33385/19372. Acesso em: 14 abr 2021.

MACHADO, Julio Cesar. O paradoxo a partir da teoria dos blocos semânticos: língua, dicionário e história. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal de São Carlos, UFSCar, 2015.

MACHADO, Julio Cesar. 50 anos da pressuposição na semântica argumentativa: análises do fenômeno pressuposicional de 1968 a 2018. Cadernos de Estudos Lingüísticos, Campinas, v. 61, p. 1–21, 2019. DOI: http://doi.org/10.20396/cel.v61i1.8652865

MACHADO, Julio Cesar. A pressuposição-defeito de Paul Henry e a pressuposição argumentativa de Oswald Ducrot: um fenômeno que insiste e resiste, 2021a, no prelo.

MACHADO, Julio Cesar. O estruturalismo enunciativo de Oswald Ducrot: o que (não) é, 2021b, no prelo.

MORAES, Érika de. Teorias semânticas e a implicitação na língua(gem). Alfa, São Paulo, v. 53, n. 1, p. 261-282, 2009. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/1687. Acesso em: 14 abr 2021.

SOARES, Verônica de Fátima Camargo. Pressuposição: diferentes abordagens teóricas e suas consequências para o ensino de graduação em letras. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal do Espírito Santo. 2012. Disponível em https://repositorio.ufes.br/handle/10/3754. Acesso em: 14 abr 2021.

Publicado
2021-04-30
Como Citar
Machado, J. C. (2021). Palavra dita é flecha lançada: ato jurídico e linguagem em Oswald Ducrot. Revista Eletrônica De Estudos Integrados Em Discurso E Argumentação, 21(1). https://doi.org/10.47369/eidea-21-1-3059
Seção
Artigos