O ethos cômico de Lorelai Gilmore: da constituição à persuasão

Palavras-chave: Retórica, Ethos, Gilmore Girls, Lorelai Gilmore

Resumo

A intensa adesão do público às séries nos leva a refletir sobre a popularidade dessa produção. Diante disso, este artigo elege a série Gilmore Girls como objeto de estudo. Parte-se da hipótese de que a imagem cômica de Lorelai, uma das protagonistas, é responsável não só, mas especialmente, pelo sucesso da série. Os objetivos são mostrar o funcionamento do ethos cômico da personagem e verificar qual o tipo cômico mais característico da mesma. A análise baseia-se nos pressupostos teóricos da Retórica (ARISTÓTELES, 2015) e da Nova Retórica (PERELMAN; OLBRECHTS-TYTECA, 2005; REBOUL, 2004; MEYER, 2007a; FERREIRA, 2010), considerando, primordialmente, a noção de ethos. Ademais, considera-se a classificação dos tipos cômicos com base em Carmelino (2018). O corpus de análise é constituído por três cenas, retiradas de alguns episódios da primeira temporada da série. Em termos metodológicos, os discursos das cenas foram transcritos e as imagens captadas mediante os stills dos vídeos.

Referências

ABREU, Antônio Suárez. A arte de argumentar: gerenciando razão e emoção. Cotia: Ateliê Editorial, 2009.

ARISTÓTELES. Retórica. Tradução: Manuel A. Júnior, Paulo F. Alberto e Abel N. Pena. São Paulo: Folha de São Paulo, 2015.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. Tradução: Leonel Vallandro e Gerd Bornheim. São Paulo: Nova Cultural, 1991.

CARMELINO, Ana Cristina. Humor: uma abordagem retórica e argumentativa. Revista Desenredo, v. 8, n. 2, p. 40-56, 2012.

CARMELINO, Ana Cristina. Retórica e humor gráfico: ethé dos fradinhos, de Henfil. Linguística, Montevideo, v. 34, n. 2, p. 81-97, 2018.

FÉRAL, Cláudia Manoel Rached. O Agon na poética aristofânica: diversidade da forma e do conteúdo. 2009. 303f. Tese (Doutorado em Estudos Literários) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2009. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/102365/feral_cmr_dr_arafcl.pdf?sequence=1. Acesso em: 24 nov. 2020.

FERREIRA, Luiz Antonio. Leitura e persuasão: princípios de análise retórica. São Paulo: Contexto, 2010.

FIGUEIREDO, Maria Flávia; FERREIRA, Luiz Antonio. A dimensão do ethos nos gêneros retóricos. In: LIMA, Eliane Soares; GEBARA, Ana Elvira; GUIMARÃES, Thayse Figueira (orgs.). Estilo, éthos e enunciação. Franca: UNIFRAN, 2016.

FIORIN, José Luiz. Argumentação. São Paulo: Contexto, 2015.

FIORIN, José Luiz. Figuras de retórica. São Paulo: Contexto, 2019.

FERNANDES, Alessandra Valle. Tradução para legendagem: perspectivas e condicionalismos com uma breve análise de um episódio de “Gilmore Girls” – “Tal Mãe, Tal Filha”. 2007. 166 f. Dissertação (Mestrado em Terminologia e Tradução). Faculdade de Letras, Universidade do Porto, Portugal, 2007. Disponível em https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/14671/2/tesemesttraducaoparalegendagem000075130.pdf. Acesso em: 24 nov. 2020.

FRYE, Northrop. Anatomia da crítica: quatro ensaios. Tradução: Marcus de Martini. São Paulo: É Realizações, 2013.

GRAHAM, Lauren. Falando o mais rápido que posso: de Gilmore Girls a Gilmore Girls e tudo no meio do caminho. Tradução: Ananda Alves. Rio de Janeiro: Record, 2016.

GILMORE Girls. Adoro Cinema. Disponível em: http://www.adorocinema.com/series/serie-114/temporada-4947/elenco/. Acesso em: 24 nov. 2020.

GILMORE Girls. Netflix. Disponível em: https://www.netflix.com/browse?jbv=70155618&jbp=0&jbr=1. Acesso em: 24 nov. 2020.

GILMORE Girls: a série do coração. Bárbara Vitoriano. 13 jul. 2017. Disponível em: https://barbaravitoriano.com.br/serie-do-coracao-gilmore-girls/. Acesso em: 12 mar. 2021.

GILMORE Girls: feminismo, relacionamentos e café. Jornalismo Júnior. 05 out. 2016. Disponível em: http://bit.ly/2dyvdat. Acesso em: 24 nov. 2020.

GILMORE Girls: season 1. Warner Bros. Disponível em: https://www.warnerbros.com/tv/gilmore-girls-season-1. Acesso em: 24 nov. 2020.

GILMORE girls: Um Ano para Recordar. Netflix. Disponível em: https://www.netflix.com/br/title/80109415?trkid=13747225&s=i. Acesso em: 24 nov. 2020.

LEAL, Nicolle Lenuzza. Memória afetiva e o engajamento de fãs da série Gilmore Girls. 2017. Universidade do Vale do Rio dos Sinos, 2017. Disponível em: http://repositorio.jesuita.org.br/bitstream/handle/UNISINOS/6411/Nicolle%20Lenuzza%20Leal_.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 24 nov. 2020.

LIMA, Daniele Marques. Tal mãe, tal filha? A representação da mulher em Gilmore Girls. 2018. 73 f. Monografia (Bacharel em Comunicação). Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia, 2018. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/25961/1/Tal%20m%C3%A3e%20tal%20filha%20-%20A%20representa%C3%A7%C3%A3o%20das%20mulheres%20em%20Gilmore%20Girls.pdf. Acesso em: 24 nov. 2020.

LORELAI Gilmore. Gilmore girls wiki. Disponível em: https://gilmoregirls.fandom.com/wiki/Lorelai_Gilmore. Acesso em: 24 nov. 2020.

MENDES, Cleise Furtado. A gargalhada de Ulisses: a catarse na comédia. São Paulo: Perspectiva, 2008.

MENEGOTTO, Fernanda Nunes. Mais referências que um episódio de Gilmore Girls: uma análise dos itens culturais na tradução para legendagem. 2016. 62 f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Letras, 2016. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/157759. Acesso em: 24 nov. 2020.

MEYER, Michel. Retórica. Tradução: Marly N. Peres. São Paulo: Ática, 2007a.

MEYER, Michel. Questões de retórica: linguagem, razão e sedução. Tradução: António Hall. Lisboa: Edições 70, 2007b.

NETFLIX divulga quais as séries mais maratonadas no Brasil e no mundo. Diário de Pernambuco, 17 dez. 2017. Disponível em: https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/viver/2017/10/netflix-divulga-quais-as-series-mais-maratonadas-no-brasil-e-no-mundo.html. Acesso em: 24 nov. 2020.

O DIA NA história (22/09/2002): Série ‘Tal mãe, Tal filha – Gilmore Girls’ faz sua estreia na grade do SBT. SBTpedia, 22 set. 2016. Disponível em: http://www.sbtpedia.com.br/2016/09/o-dia-na-historia-22092002-serie-tal.html. Acesso em: 24 nov. 2020.

PERELMAN, Chaïm; OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado de argumentação: a nova retórica. Tradução: Maria E. A. P. Galvão. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

PRETI, Dino (org.). O discurso oral culto. 2. ed. São Paulo: Humanitas Publicações – FFLCH/USP, 1999.

REBOUL, Olivier. Introdução à retórica. Tradução: Ivone C. Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

SILVA, Anderson Lopes. A prática do binge-watching nas séries exibidas em streaming: sobre os novos modos de consumo da ficção seriada. In: CONGESSO INTERNACIONAL COMUNICAÇÃO E CONSUMO, 2015, São Paulo. Anais Comunicon 2015. São Paulo: ESPM, 2015. Disponível em: http://www.anais-comunicon2015.espm.br/GTs/GT2/9_GT02-LOPES%20_SILVA.pdf. Acesso em: 24 nov. 2020.

SILVA, Marcel Vieira Barreto. Cultura das séries: forma, contexto e consumo de ficção seriada na contemporaneidade. Galáxia (São Paulo, Online), n. 27, p. 241-252, jun.2014. DOI https://doi.org/10.1590/1982-25542014115810. Acesso em: 24 nov. 2020.

TRINGALI, Dante. Introdução à retórica: a retórica como crítica literária. São Paulo: Duas Cidades, 1988.

VASCONCELOS, Suani Almeida. A retórica do corpo: semiose e narratividade na dança tribal. Redisco, Vitória da Conquista, v. 8, n. 2, p. 80-87, 2015.

VITORIANO, Bárbara. Gilmore Girls: a série do coração. 13 jul. 2017. Disponível em: https://barbaravitoriano.com.br/serie-do-coracao-gilmore-girls/. Acesso em: 12 mar. 2021.

COISAS que você não sabia sobre Gilmore Girls. GGBR, 15 ago. 2016. Disponível em: https://gilmoregirls.com.br/23-coisas-que-voce-nao-sabia-sobre-gilmore-girls/. Acesso em: 24 nov. 2020.

Publicado
2021-04-30
Como Citar
Nunes, S. (2021). O ethos cômico de Lorelai Gilmore: da constituição à persuasão. Revista Eletrônica De Estudos Integrados Em Discurso E Argumentação, 21(1). https://doi.org/10.47369/eidea-21-1-2966
Seção
Artigos