A referenciação como estratégia retórico-discursiva em tirinhas da Mafalda

Palavras-chave: Linguística Textual., Argumentação no discurso., Referenciação., Mafalda.

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar como a referenciação funciona enquanto estratégia argumentativa em tirinhas da Mafalda, do escritor argentino Quino. Para alcançar esse fim, apoiamo-nos na Teoria da Argumentação no Discurso, proposta por Amossy (2002; 2005; 2006; 2011; 2016; 2018), na tese de Macedo (2018) e nos estudos sobre referenciação de Custódio Filho (2011; 2012). O diálogo estabelecido entre a teoria retórico-discursiva de Amossy e a Linguística Textual mostrou-se profícuo, pois, na análise, pudemos verificar que a construção de referentes nas duas tirinhas selecionadas consiste não somente em uma estratégia textual, que contribui para o estabelecimento da coerência, mas também em uma estratégia argumentativa, na medida em que permite desvelar os embates discursivos subjacentes e que orienta a maneira de ver do interlocutor.

Biografia do Autor

Patrícia Sousa Almeida de Macedo, Universidade Federal do Pará

Professora doutora da Universidade Federal do Pará (UFPA), Brasil.

Referências

AMOSSY, Ruth. Nouvelle rhétorique et linguistique du discours. In: KOREN, Roselyne; AMOSSY, Ruth (éds.). Après Perelman: quelles politiques pour les nouvelles rhétoriques? Paris: L’Harmattan, 2002, p. 153-171.

AMOSSY, Ruth. Rhétorique et analyse du discours. Pour une approche socio-discursive des textes. In: ADAM, Jean-Michel; HEIDMANN, Ute (éds.). Sciences du texte et analyse de discours: enjeux d'une interdisciplinité. Genebra: Slatkine, 2005. p. 163-179.

AMOSSY, Ruth. L’argumentation dans le discours. Paris: Armand Colin, 2006.

AMOSSY, Ruth. O lugar da argumentação na análise do discurso: abordagens e desafios contemporâneos. Filologia e Linguística Portuguesa, n. 9, 2007, p. 121-146.

AMOSSY, Ruth. Argumentação e análise do discurso perspectivas teóricas e recortes disciplinares. Tradução: Eduardo Lopes Piris e Moisés Olímpio Ferreira. EID&A – Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação, Ilhéus, n. 1, p. 129-144, 2011.

AMOSSY, Ruth. É possível integrar a argumentação na análise do discurso? Problemas e desafios. Tradução: Rosalice Pinto et al. ReVEL, v. 14, n. 12, p. 165-190, 2016.

AMOSSY, Ruth. Por uma análise discursiva e argumentativa da polêmica. Tradução: Angela Maria da Silva Corrêa. EID&A – Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação, Ilhéus, n. 13, 2017.

AMOSSY, Ruth. A argumentação no discurso. Coordenação da tradução: Eduardo Lopes Piris e Moisés Olímpio-Ferreira. Tradução: Angela M. S. Corrêa et al. São Paulo: Contexto, 2018.

APOTHÉLOZ, Denis; REICHLER-BÉGUELIN, Marie-José. Construction de la référence et stratégies de désignation. Tranel – Travaux neuchâtelois de linguistique, Neuchâtel, n. 23, p. 227-271, 1995.

BATESON, Gregory. Uma teoria sobre brincadeira e fantasia. In: RIBEIRO, Branca Telles; GARCEZ, Pedro M. (orgs.). Sociolinguística interacional. São Paulo: Edições Loyola, 2002. p. 85-105.

CAVALCANTE, Mônica Magalhães. Expressões referenciais – uma proposta classificatória. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, n. 44, p. 105-118, 2003.

CAVALCANTE, Mônica Magalhães. Anáfora e dêixis: quando as retas se encontram. In: KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça; MORATO, Edwiges Maria; BENTES, Anna Christina (orgs.). Referenciação e discurso. São Paulo: Contexto, 2005. p. 125-149.

CAVALCANTE, Mônica Magalhães; SANTOS, Leonor Werneck dos. Referenciação e marcas de conhecimento partilhado. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão, v. 12, n. 3, p. 657-681, 2012.

CUSTÓDIO FILHO, Valdinar. Múltiplos fatores, distintas interações: esmiuçando o caráter heterogêneo da referenciação. 329f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2011.

CUSTÓDIO FILHO, Valdinar. Reflexões sobre a recategorização referencial sem menção anafórica. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão, v. 12, n. 3, p. 839-858, 2012.

GERALDI, João Wanderley. Palavras escritas, indícios de palavras ditas. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão, v. 3, p. 9-25, 2003.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. Referenciação e orientação argumentativa. In: KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça; MORATO, Edwiges Maria; BENTES, Anna Christina (orgs.). Referenciação e discurso. São Paulo: Contexto, 2005. p. 33-52.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. A coesão textual. 22.ed. São Paulo: Contexto, 2012.

MACEDO, Patrícia Sousa Almeida de. Análise da argumentação no discurso: uma perspectiva textual. 242f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.

MAINGUENEAU, Dominique; CHARAUDEAU, Patrick. Dicionário de análise do discurso. 3.ed. São Paulo: Contexto, 2014.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Anáfora indireta: o barco textual e suas âncoras. In: KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça; MORATO, Edwiges Maria; BENTES, Anna Christina (orgs.). Referenciação e discurso. São Paulo: Contexto, 2005. p. 53-101.

MONDADA, Lorenza. Verbalisation de l’espace et fabrication du savoir: approche linguistique de la construction des objets de discours. Tese (Doutorado) – Université de Lausanne, Lausanne, 1994.

MONDADA, Lorenza; DUBOIS, Danièle. Construção dos objetos de discurso e categorização: uma abordagem dos processos de referenciação [1995]. In: CAVALCANTE, Mônica Magalhães; BIASI-RODRIGUES, Bernadete; CIULLA, Alena (orgs.). Referenciação. São Paulo: Contexto, 2003. p. 17-52.

MUSSALIM, Fernanda. Análise do discurso. In: MUSSALIM, Fernanda; BENTES, Anna Christina (orgs.). Introdução à Linguística: domínios e fronteiras, vol. II. 5.ed. São Paulo: Cortez, 2006. p. 101-142.

PERELMAN, Chaïm; OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado da argumentação: a nova retórica. Tradução: Maria Ermantina de Almeida Prado Galvão. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

POSSENTI, Sírio. Questões para analistas do discurso. São Paulo: Parábola, 2009.

TANNEN, Deborah; WALLAT, Cynthia. Enquadres interativos e esquemas de conhecimentos em interação: exemplos de um exame/consulta médica. In: RIBEIRO, Branca Telles; GARCEZ, Pedro M. (orgs.). Sociolinguística interacional. São Paulo: Edições Loyola, 2002. p. 183-214.

Publicado
2020-12-23
Como Citar
Sousa Almeida de Macedo, P. (2020). A referenciação como estratégia retórico-discursiva em tirinhas da Mafalda. Revista Eletrônica De Estudos Integrados Em Discurso E Argumentação, 20(3). https://doi.org/10.47369/eidea-20-3-2954
Seção
Artigos Inéditos