“Levante a voz pela Amazônia”

A organização argumentativa da mensagem da CNBB sobre a devastação da Amazônia

Palavras-chave: Discurso religioso, Argumentação, CNBB, Amazônia

Resumo

O presente artigo visa analisar a organização argumentativa da nota da CNBB “Levante a voz pela Amazônia”, para identificar como nela se dá o discurso da Igreja Católica pela preservação do meio ambiente e das populações vulneráveis da região amazônica. Tal nota se insere no esforço histórico dessa instituição de contestar a política neoliberal, as desigualdades e agressões aos oprimidos e ao meio ambiente e se alinham às diretrizes do Concílio Vaticano II e, mais recentemente, às orientações do Papa Francisco. Nossa análise adotará como referencial teórico e metodológico a Teoria Semiolinguística do Discurso, de Patrick Charaudeau, especificamente as categorias pertencentes ao modo de organização argumentativo. Essa investigação nos permitiu identificar um posicionamento que deixa claro que a devastação da Amazônia é um fato decorrente da ação humana. Há também um engajamento em relação à necessidade de mobilização da população e das autoridades, em defesa da Amazônia.

Biografia do Autor

Mônica Santos de Souza Melo, Universidade Federal de Viçosa

Professora doutora da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Brasil

Bolsista de Produtividade em Pesquisa CNPq

Referências

BAKHTIN, Mikhail (VOLOCHINOV). Marxismo e filosofia da linguagem. Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução: Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. 7.ed. São Paulo: HUCITEC, 1995.

BOURDIEU, Pierre. Squisse d´une théorie de la pratique. Paris: Librairie Droz, 1973.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

CANÇÃO NOVA. Você sabe o que é ecologia integral? Disponível em https://formacao.cancaonova.com/atualidade/meio-ambiente/voce-sabe-o-que-e-ecologia-integral/. Acesso em: 14 set. 2019.

CARDOSO, Fernando Henrique. Autoritarismo e democratização. São Paulo: Paz e Terra, 1975.

CHARAUDEAU, Patrick. Grammaire du sens et de l’expression. Paris: Hachette, 1992.

CHARAUDEAU, Patrick. Linguagem e discurso. Os modos de organização. Coordenação da equipe de tradução: Angela M. S. Corrêa e Ida Lúcia Machado. São Paulo: Contexto, 2008.

CORDONHA, José. A igreja católica nos “anos de chumbo”: resistência e deslegitimação do Estado Autoritário Brasileiro 1968-1974. 2011. 543 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2011. Disponível em https://sapientia.pucsp.br/bitstream/handle/3327/1/Jose%20Cardonha.pdf. Acesso em: 20 set. 2019.

LEMOS, Carolina Teles. Religião, gênero e sexualidade. O lugar da mulher na família camponesa. Goiânia: Editora da UCG, 2005.

LYONS, John. Semântica. Tradução: Marilda Winkler Averbug. Lisboa: Presença, 1977.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Tradução: Eni P. Orlandi et al. 4.ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 2009 [1975].

Van DIJK, Teun. Discurso e poder. Tradução: Judith Hoffnagel e Karina Falcone. São Paulo: Contexto, 2008.

Publicado
2020-12-23
Como Citar
Santos de Souza Melo, M. (2020). “Levante a voz pela Amazônia”. Revista Eletrônica De Estudos Integrados Em Discurso E Argumentação, 20(3). https://doi.org/10.47369/eidea-20-3-2943
Seção
Artigos Inéditos