Operadores de contraposição na introdução das redações do ENEM

Um estudo semântico-argumentativo

Palavras-chave: Semântica argumentativa, Argumentação, Operadores de contraposição, Redação do ENEM

Resumo

Este artigo objetiva identificar e analisar o emprego dos operadores de contraposição mobilizados para formulação da tese presente na introdução de redações nota 1000 do Exame Nacional de Ensino Médio (ENEM) dos anos 2016 e 2017, publicadas na Cartilha do Participante (2017; 2018). À luz da Semântica Argumentativa, analisou-se o comportamento semântico-argumentativo desses operadores, considerando o requisito da construção de um texto dissertativo-argumentativo avaliado na competência II, da matriz de referência do INEP/MEC, a fim de discutir de que maneira tais elementos contribuem para formulação da tese e direcionam a argumentação. O caráter metodológico do estudo em questão foi documental, de cunho descritivo-interpretativista, baseado nos postulados teóricos de Ducrot (1987; 1988), Vogt e Ducrot (1980), Koch (2011) e Silva (2015). Os resultados obtidos indicam que os operadores de contraposição são recorrentes na construção da tese das redações analisadas e contribuem para marcar o posicionamento do locutor na introdução do texto.

Biografia do Autor

Aleise Guimarães Carvalho, Universidade Federal da Paraíba

Mestra em Linguística pela UFPB. Graduada em Licenciatura em Letras - Língua Portuguesa pela UEPB. Atua no Ensino Superior no curso de Letras Inglês Virtual/UFPB e Faculdade de pós-graduação em Campina Grande-PB. É professora da Secretaria de Educação do Estado da Paraíba e doutoranda pelo Programa de Pós-graduação em Linguística, UFPB. Publicou artigo em periódico e é autora de trabalhos científicos publicados em anais de eventos nacionais e internacionais. Desenvolve pesquisas nas áreas de Semântica Argumentativa e de Linguística Aplicada.

Maria Eliane Gomes Morais, Universidade Federal da Paraíba

Possui graduação em Letras pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) - 2013. Especialização em Ciências da Linguagem com ênfase no Ensino de Língua Portuguesa - Universidade Federal da Paraíba (UFPB) - 2017. Especialização em Linguística Aplicada - Faculdades Integradas de Patos (FIP) - 2017. Mestrado em Formação de Professor - Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) - 2016. Doutoranda em Linguística pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) - 2018.

Erivaldo Pereira do Nascimento, Universidade Federal da Paraíba

Possui graduação em Comunicação Social, Habilitação Jornalismo, pela Universidade Federal da Paraíba (1997), licenciatura em Letras pela Universidade Federal da Paraíba (2004) e doutorado em Letras pela Universidade Federal da Paraíba (2005). Realizou Estágio de Pós-Doutorado na Universidad de Buenos Aires - Argentina, no ano de 2014, com financiamento pela CAPES/MEC. Atualmente é professor associado III da Universidade Federal da Paraíba, está vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Linguística e ao Programa de Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS/UFPB). Foi coordenador dos cursos de Bacharelado Secretariado Executivo Bilíngue e de Licenciatura em Letras, da mesma instituição e também foi presidente da Sociedade Brasileira de Secretariado (SBSEC). Atualmente é o Vice-Diretor do Centro de Ciências Aplicadas e Educação (CCAE), Campus IV da UFPB. Foi bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq (2009-2012). Desenvolve pesquisas na área de Semântica Argumentativa e Linguística Aplicada ao Ensino de Línguas, ao Secretariado e à Comunicação Social. Tem experiência na área de Letras, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de línguas, linguística textual, argumentação, semântica e ensino.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Instituito Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP. Redação no ENEM 2017 cartilha do participante. Brasília-DF. 2017.

BRASIL. Redação no ENEM 2018 cartilha do participante. Brasília-DF. 2018.

DUCROT, Oswald. O dizer e o dito. Tradução por Eduardo Guimarães. Campinas, SP: Pontes. Tradução de Le dire et le dit. 1987.

DUCROT, Oswald. Polifonia y argumentacion. Universidade del Valle - Cali. 1988.

KOCH, I. G. V. Argumentação e Linguagem. 9ª ed. São Paulo: Cortez, 2004.

NASCIMENTO, Erivaldo Pereira do. Jogando com as vozes do outro: argumentação na notícia jornalística. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2009.

NASCIMENTO, Erivaldo Pereira do. A polifonia nos gêneros acadêmicos e formulaicos: a construção de sentidos a partir da evocação da palavra alheia. Porto Alegre: Revista Letras de Hoje, v. 50. 2015.

SILVA, Marcos Antônio da. Os operadores de contraposição no gênero resumo acadêmico: perspectiva linguístico-discursiva. João Pessoa, UFPB, 2015. (Tese de Doutorado).

VOGT, Carlos; DUCROT, Oswald. De magis a mas: uma hipótese semântica. In: VOGT, Carlos. Linguagem, pragmática e ideologia. São Paulo: HUCITEC, 1980.

Publicado
2020-12-23
Como Citar
Carvalho, A., Morais, M. E., & do Nascimento, E. (2020). Operadores de contraposição na introdução das redações do ENEM. Revista Eletrônica De Estudos Integrados Em Discurso E Argumentação, 20(3). https://doi.org/10.47369/eidea-20-3-2910
Seção
Artigos Inéditos