O meme e as orientações argumentativas

Palavras-chave: Meme, Orientação Argumentativa, Semântica da Enunciação, Dilma Rousseff

Resumo

O presente trabalho propõe investigar como se manifesta a (re)construção dos efeitos de sentido e a orientação argumentativa, por meio do meme, a partir de um olhar semântico-enunciativo. Sendo assim, nossa pesquisa elege os memes como objeto de estudo, no intuito de compreender esse fenômeno de ação coletiva na/da cibercultura sob a perspectiva da Semântica da Enunciação. Para desenvolver a análise a que nos propomos, buscamos discutir o conceito de meme, examinando as características que o compõem. No que tange ao tema e à delimitação do objeto de estudo, procuramos abordar os memes relacionados à ex-presidente do Brasil, Dilma Rousseff. A elaboração do corpus da pesquisa foi realizada por meio de entradas de busca na plataforma Google utilizando do processo metodológico das redes enunciativas (DIAS, 2018). Como resultado, a pesquisa constatou que os movimentos argumentativos, presentes nos memes, se configuram pela orientação temática e posicionamentos, direcionando efeitos de sentido.

Biografia do Autor

Juliemerson José Silva, Universidade Federal de São João del-Rei

Mestre em Teoria Literária e Crítica da Cultura pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), Brasil

Referências

AMOSSY, Ruth. Argumentação e análise do discurso: perspectivas teóricas e recortes disciplinares. Tradução: Eduardo Lopes Piris e Moisés Olímpio Ferreira. EID&A - Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação, Ilhéus, n. 1, p. 129-144, nov. 2011.

CHAGAS, Viktor. “Não tenho nada a ver com isso”: cultura política, humor e intertextualidade nos memes das Eleições 2014. In: CERVI, Emerson Urizzi; MASSUCHIN, Michele Goulart; CARVALHO, Fernanda Cavassana. de (orgs.). Internet e Eleições no Brasil. Curitiba: CPOP, 2016. p. 86-116.

CHAGAS, Viktor. A febre dos memes de política. Revista Famecos. Porto Alegre, v. 25, n. 1, p. 1-26, 2018.

CHAGAS, Viktor.; TOTH, Janderson. Monitorando memes em mídias sociais. In: SILVA, Tarcízio; STABILE, Max (orgs.) Monitoramento e pesquisa em mídias sociais: metodologias, aplicações e inovações. São Paulo: Uva Limão, 2016. p. 211-233.

DALMASCHIO, Luciani. Uma semântica de base enunciativa x A construção histórico-político-social do sentido. In: ASSUNÇÃO, Antônio Luiz et al (org.). As letras da política. Rio de Janeiro: Mauad X, 2015. p. 241-255.

DAWKINS, Richard. O Gene egoísta. 12.ed. São Paulo: Cia. das Letras, 2007 [1976].

DIAS, Luiz Francisco. Enunciação e Relações linguísticas. Campinas: Pontes, 2018.

GUIMARÃES, Eduardo. Argumentação e argumentatividade. Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo, v. 9, n. 2, p. 271-283, 2013.

GUIMARÃES, Eduardo. Semântica do Acontecimento: um estudo enunciativo da designação. 4.ed. Campinas: Pontes, 2017 [2002].

GUIMARÃES, Eduardo. Semântica: Enunciação e sentido. Campinas: Pontes, 2018.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

ROJO, Roxane. Pedagogia dos multiletramentos: diversidade cultural e de linguagem na escola. In: ROJO, Roxane; MOURA, Eduardo (orgs.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola, 2012. p. 11-31.

SHIFMAN, Limor. An anatomy of a YouTube meme. New Media & Society, v. 14, n. 2, p. 187-203, 2012.

SHIFMAN, Limor. Memes in a Digital Culture. Cambridge: MIT, 2014.

Publicado
2020-12-23
Como Citar
Silva, J. J., & Dalmaschio, L. (2020). O meme e as orientações argumentativas. Revista Eletrônica De Estudos Integrados Em Discurso E Argumentação, 20(3). https://doi.org/10.47369/eidea-20-3-2657
Seção
Artigos Inéditos