Personagens Travestis de Cassandra Rios: subversão e resistência

  • Carlos Eduardo Albuquerque Fernandes Universidade Federal Rural de Pernambuco
Palavras-chave: Personagens Travestis, Cassandra Rios, Literatura Brasileira.

Resumo

O presente artigo apresenta um panorama do pioneirismo da escritora brasileira Cassandra Rios na criação de romances com protagonistas travestis, bem como oferece uma análise da protagonista da obra Uma mulher diferente, publicada a primeira vez em 1965. A leitura crítica aqui apresentada tem como base um tripé teórico: (a) os estudos literários, a partir de Barcellos (2006), Fernandes & Schneider (2017), (b) os estudos de gênero, sobretudo a partir de Butler (2010; 2013) e (c) as etnografias sobre travestis brasileiras, a partir de Kulick (2008), Benedetti (2005) e Pelúcio (2009). Os resultados buscam demonstrar o quanto as personagens promovem rachaduras nos dogmas tradicionais de gênero e de sexualidades, subvertendo conceitos essencialistas, mesmo tendo sido criadas em textos literários que vieram a público em um período de repressão como no início da ditadura militar do Brasil, instaurada em 1964.

Biografia do Autor

Carlos Eduardo Albuquerque Fernandes, Universidade Federal Rural de Pernambuco
Professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco, na Unidade Acadêmica de Garanhuns, onde leciona componentes curriculares sobre Literatura Brasileira e Portuguesa. Doutor em Letras pela Universidade Federal da Paraíba. Mestre em Literatura pelo Programa de Pós-Graduação em Literatura e Interculturalidade da Universidade Estadual da Paraíba. Graduado em Letras pela mesma instituição. Centra-se em discussões relacionadas à linguagem literária e representação de grupos não-hegemônicos, educação literária e currículo multiculturalista com enfoque em temas sobre diversidade sexual e de gênero.

Referências

ALMEIDA, Kyara Vieira de. Onde estão as respostas para as minhas perguntas? Cassandra Rios – a construção do nome e a vida enquanto tragédia de folhetim (1955-2001). 2014. 207 f. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2014.

BARCELLOS, J. C. Literatura e homoerotismo em questão. Rio de Janeiro: Dialogarts, 2006.

BENEDETTI, Marcos R. Toda feita: o corpo e o gênero das travestis. Rio de Janeiro: Garamond, 2005.

BENTO, Berenice. A reinvenção do corpo: sexualidade e gênero na experiência transexual. Rio de Janeiro: Garamond, 2006.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Trad. Renato Aguiar. 3 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

______. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do sexo. In: LOURO, Guacira Lopes (Org). O corpo educado – pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2013. p. 110-127.

CANDIDO, Antonio et al. A Personagem de ficção. São Paulo: Perspectiva, 2007.

COELHO, Nelly Novaes. Dicionário crítico de escritoras brasileiras (1711-2001). São Paulo: Escrituras, 2002.

CUNHA, Helena Parente. Cânone: dúvidas e ambigüidades. Scripta, Belo Horizonte, v. 10, n. 16, p. 241-249, 2006.

FERNANDES, Carlos Eduardo Albuquerque. O desejo homoerótico no conto brasileiro do século XX. São Paulo: Scortecci, 2015.

FERNANDES, Carlos Eduardo Albuquerque; SCHNEIDER, Liane. Personagens travestis em narrativas brasileiras do século XX – Uma leitura sobre corpo e resistência. João Pessoa: Editora da UFPB, 2017.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade 1: a vontade de saber. Trad. Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1988.

______. História da sexualidade 2: o uso dos prazeres. Trad. Maria Thereza da Costa Albuquerque. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1984.

______. História da sexualidade 3: o cuidado de si. Trad. Maria Thereza da Costa Albuquerque. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1985.

GREEN, James. Além do carnaval – homossexualidade masculina no Brasil do século XX. São Paulo: Editora da UNESP, 2000.

KULICK, Don. Travesti – prostituição, sexo, gênero e cultura no Brasil. Trad. Cesar Gordon. Rio de Janeiro: Fio Cruz, 2008.

LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

MOISÉS, Massaud. A criação literária: Prosa. 20 ed. São Paulo: Cultrix, 2006.

PELÚCIO, Larissa. Abjeção e Desejo – uma etnografia travesti sobre o modelo preventivo de AIDS. São Paulo: FAPESP, 2009.

RIOS, Cassandra. Uma mulher diferente. São Paulo: Brasiliense, 2005.

______. Georgette. São Paulo: Record, 1956.

SANTOS, Rick. Uma visão queer do discurso de Cassandra Rios. In: RIOS, Cassandra. Uma mulher diferente. São: Paulo: Brasiliense, 2005. p. 175-180.

SALES, Adriana; PERES, Willian Siqueira. Apontamentos anal-lisadores: corpos travestis, tempos e subjetivadas compreensões do cu. Periódicus, Salvador, v. 1, n. 4, p. 13-35, 2015. Disponível em: <http://www.portalseer.ufba.br/index.php/revistaperiodicus/article/view/15420>. Acesso em: 24 out. 2015.

SILVA, Helio R. S. Travestis – entre o espelho e a rua. Rio de Janeiro: Rocco, 2007.

Publicado
2018-11-05