Ecos da Resistência em O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Éxupery, e A trilha dos ninhos de aranha, de Ítalo Calvino

Palavras-chave: Cânone, Fascismo, Nazismo, Resistência, Literatura Francesa, Literatura Italiana

Resumo

Este estudo propõe uma reflexão acerca dos romances O pequeno príncipe (1946), de Antoine de Saint-Éxupery e A trilha dos ninhos de aranha (1947), de Ítalo Calvino, evidenciando a posição anticanônica dos romances na época de seus lançamentos. Colocando-se em evidência as suas fortes relações com a realidade, observa-se a modificação dos horizontes e modos de perceber o cotidiano. Ressalta-se, enfim, a funcionalidade dos personagens infantis à representação da resistência ao Fascismo, na Itália, e à dominação nazista, na França.

Biografia do Autor

João Ricardo da Silva Meireles, Instituto Federal do Espírito Santo
Professor de Língua Inglesa e Língua Francesa do Instituto Federal do Espírito Santo; Professor de Português como língua adicional a distância em parceria com institutos de educação franceses; Mestrando em Letras pela UFES - bolsista CAPES; Coordenador Adjunto do Núcleo de Arte e Cultura (NAC) do Ifes; Membro de equipe de avaliação Brafitec/CAPES (Brasil-França).
Publicado
2017-10-02
Seção
Dossiê temático