Redes sociais e política na Argentina

  • Natalia Aruguete Universidad Nacional de Quilmes
  • Ernesto Calvo University of Maryland
Palavras-chave: Twitter. Polarización política. Concentración mediática. Agendas

Resumo

Ativistas, políticos e organizações sociais têm a capacidade de transmitir opiniões e promover a desobediência civil, ignorando as rotas de informação delineadas por jornalistas e meios de comunicação tradicionais. Essa tensão colocada na definição de agendas convencionais representa um desafio para as hipóteses dos modelos de comunicação estudados. Este artigo reflete sobre as relações políticas e sociais que se refletem na rede do Twitter, onde a conversa virtual promove polarização política, consolida hierarquias da mídia, estabelece um diálogo único entre as agendas políticas, midiáticas e públicas, e fortalece a concentração de conteúdo gerado por usuários de alto escalão, cujo prestígio político, social, econômico e cultural não se altera com seu ingresso às redes.
Publicado
2018-09-11