O funcionamento argumentativo em torno da designação “refugiados” no discurso universitário brasileiro

  • Marluza da Rosa Universidade Federal de Santa Maria Campus Frederico Westphalen
Palavras-chave: Refugiados. Universidade. Discurso. Argumentação.

Resumo

Este trabalho objetiva analisar e compreender as relações de poder-saber na esfera discursiva universitária, de modo a explorar os efeitos de sentido resultantes da forma como são designadas as pessoas em situação de refúgio em documentos que regem o processo seletivo para ingresso de refugiados no ensino superior brasileiro. Tomar a questão pelo viés da argumentação e do discurso permite que se estabeleçam profícuos debates em torno de uma visada analítica voltada para o âmbito acadêmico enquanto cenário político não só de divisão de sentidos (ORLANDI, 1998), mas também de relação entre forças heterogêneas que implicam a possibilidade do dissenso (RANCIÈRE, 1998, 2000). Com base nessa perspectiva teórico-metodológica, a análise desenvolvida explora o funcionamento da designação e aponta para sua inscrição na materialidade discursiva, por meio de deslocamentos nas formas de designar, ao longo do tempo e nos diferentes textos.

Biografia do Autor

Marluza da Rosa, Universidade Federal de Santa Maria Campus Frederico Westphalen

Docente do Departamento de Ciências da Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria, Campus Frederico Westphalen. Graduada e Mestre em Letras, Doutora e Pós-Doutora em Linguística Aplicada.

Publicado
2018-07-15
Seção
Artigos Inéditos