Reflexões acerca da proposta de ensino de argumentação de um livro didático de português aprovado pelo PNLD/2017

  • Mayana Matildes da Silva Souza Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC)
  • Eduardo Lopes Piris Universidade Estadual de Santa Cruz
Palavras-chave: Ensino. Língua Portuguesa. Livro Didático. Argumentação.

Resumo

Considerando o impacto do livro didático sobre as práticas pedagógicas e os esforços de professores e pesquisadores para o aprimoramento do ensino de argumentação na escola, este artigo visa discutir a concepção de ensino de argumentação presente num livro didático de língua portuguesa aprovado pelo PNLD/2017. Para isso, analisamos as atividades sobre os chamados gêneros argumentativos propostas pela coleção didática “Para viver juntos: português”. Assumimos a perspectiva da argumentação retórica postulada por Perelman e Olbrechts-Tyteca (2014 [1958]), bem como a proposta de ensino baseada em gêneros textuais formulada por Dolz e Schneuwly (2004). Nossos resultados apontam que as atividades do livro didático, embora apoiadas nos gêneros textuais do argumentar, não favorecem o desenvolvimento da leitura argumentativa (GRÁCIO, 2013b) nem das capacidades argumentativas (DOLZ e SCHNEUWLY, 2004; AZEVEDO, 2013, 2016a, 2016b).

Biografia do Autor

Mayana Matildes da Silva Souza, Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC)

Mestre em Letras pelo PROFLETRAS da Universidade Estadual de Santa Cruz e bolsista CAPES.

Eduardo Lopes Piris, Universidade Estadual de Santa Cruz

Docente do Mestrado Profissional em Letras e do Mestrado em Letras – Linguagens e Representações, ambos da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC).

Publicado
2018-07-15
Seção
Artigos Inéditos