A IMPORTÂNCIA DA GEOGRAFIA ESCOLAR SOB SUA PERPSECTIVA CRÍTICA PARA A FORMAÇÃO CIDADÃ DOS EDUCANDOS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA): uma proposta de práxis

  • Paula Malavisk
Palavras-chave: Geografia Escolar, Geografia Crítica, Pedagogia dialógica, Formação Cidadã

Resumo

O objetivo desse artigo é apresentar uma práxis em Geografia Escolar, sob sua perspectiva crítica. Baseia-se em um estudo de caso por nós realizado com educandos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) de uma escola pública, localizada em um bairro popular da cidade de Salvador (BA), cidade que passa por um amplo processo de reestruturação de sua infraestrutura urbana por meio de políticas urbanas; a pedagogia dialógica freiriana foi o embasamento de tal prática. Os resultados da pesquisa puderam revelar que a construção coletiva entre educadores e educandos de conceitos importantes da Geografia Escolar, como paisagem, região, espaço, território e lugar, a partir da experiência da vida cotidiana, apresenta-se como possibilidade para uma educação contextualizada e crítica, assim como para uma formação cidadã para esse público

Referências

CALLAI, Helena Copetti. Educação geográfica: ensinar e aprender Geografia. In: CASTELLAR, Sonia Maria Vanzella; MUNHOZ, Gislaine Batista. (Org.). Conhecimentos escolares e caminhos metodológicos. São Paulo: Xamã, 2012, pp. 114-141.

CARLOS, Ana Fani Alessandri. A (re)produção do espaço urbano. São Paulo: EDUSP, 2008.

CAVALCANTI, Lana de Souza. O ensino de Geografia na escola. Campinas: Papirus, 2015.

CONDER; CIAGS/UFBA; SEMA. Localização da região do Nordeste de Amaralina e adjacências. Disponível em:. Acesso em: 25 abr. 2014.

CORSEUIL, Carlos Henrique, et al. A Rotatividade dos Jovens no Mercado de Trabalho Formal Brasileiro. Mercado de trabalho: conjuntura e análise, Brasília, n. 55, 2013.

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação - uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. 3. ed. São Paulo: Moraes, 1980.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido .27. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. A Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 6. ed. Rio de Janeiro: 2014.

GADOTTI, Moacir. A voz do biógrafo brasileiro: a prática à altura do sonho. In: GADOTTI, Moacir. (Org.). Paulo Freire: uma bibliografia. São Paulo: Cortez, 1996. pp. 83-88. Disponível: . Acesso em: 25 abr. 2014.

GOODSON, Ivor. Questionando as reformas educativas: a contribuição dos estudos bibliográficos na educação. Pro-Posições, Campinas, v. 18, n.2, maio/ago. 2007.

GOOGLE EARTH. Imagem de satélite da América do Sul. 2015.

HARVEY, David. A produção capitalista do espaço. 2. ed. São Paulo: Annablume, 2006.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa mensal de emprego. Evolução do emprego com carteira assinada 2003-2012. Rio de Janeiro: 2012. Disponível em: . Acesso em
18 set. 2014.

KAERCHER, Nestor. A Geografia escolar na prática docente: a utopia e os obstáculos epistemológicos da Geografia Crítica. 2004. 363f. Tese (Doutorado em Geografia Humana)–Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Departamento de Geografia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

LEFEBVRE, Henri. A re-produção das relações de produção. Porto: Publicações Escorpião, 1973.

LEFEBVRE, Henri. Lógica Formal, Lógica Dialética. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira. 1979.

LEFEBVRE, Henri. O direito à cidade. Tradução Rubens Eduardo Frias. São Paulo: Editora Centauro, 2001.

PONTUSCHKA, Nídia Nacib. A geografia: pesquisa e ensino.In: CARLOS, Ana Fani Alessanderi. (Org.). Novos rumos da Geografia. São Paulo: Contexto, 1999. p. 111-142.

PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR/ SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO. Salvador construindo um novo futuro 2013-2016. Salvador: 2013. Disponível em: . Acesso em 15 out. 2014.

RESENDE, Márcia Spyer. A geografia do aluno trabalhador: caminhos para uma prática de ensino. São Paulo: Loyola, 1986.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço. São Paulo: EDUSP, 2009.
Publicado
2021-11-26