Freguesias de índios na Capitania de Ilhéus: instituição e extinção da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição dos índios Grens, 1759-1814

  • Terezinha Marcis Universidade Estadual de Santa Cruz
Palavras-chave: Índios, Freguesias, Arcebispado, Ilhéus. Bahia.

Resumo

O artigo analisa a instituição da freguesia de Nossa Senhora da Conceição dos índios grens do Almada em 1759, acompanhando os percalços dos párocos e a resistência dos índios até a extinção em 1814. Uma freguesia integrava a estrutura eclesiástica do Estado português sob a administração da Mesa de Consciência e Ordens, órgão do governo central encarregado de todos os negócios concernentes ao funcionamento das igrejas no reino e nos domínios, incluindo as estabelecidas nas aldeias dos índios após a expulsão dos jesuítas. Visando a compreensão das mudanças estruturais envolvendo os povos indígenas com relação à esfera eclesiástica, analisa-se a legislação integracionista decretada em 1755 e implementada na Capitania de Ilhéus em 1758. Na jurisdição religiosa de uma freguesia, os párocos eram os agentes do rei e da igreja católica, gerenciando as questões da consciência, da moral, dos costumes e da alma de acordo com os preceitos do cristianismo ocidental. Os moradores dentro de jurisdição correspondente eram caracterizados como fregueses, e, na freguesia analisada, eram os índios grens.

Publicado
2015-08-31