https://periodicos.uesc.br/index.php/especiaria/issue/feed Especiaria: Cadernos de Ciências Humanas 2024-07-13T22:01:36-03:00 Ademar Bogo especiaria@uesc.br Open Journal Systems <p><span style="font-weight: 400;">A&nbsp;Revista Especiaria - Cadernos de Ciências Humanas [ISSN Eletrônico: 2675-5432; ISSN Impresso: 1517-5081] existe desde 1998, recebe artigos, resenhas e traduções de pesquisadores brasileiros e estrangeiros, em português, inglês, francês, </span><span style="font-weight: 400;">italiano</span><span style="font-weight: 400;"> ou espanhol, da grande área de ciências humanas, apresentando-se assim como uma revista interdisciplinar. As submissões seguem fluxo contínuo, através de demanda livre e convite editorial, incluindo propostas de dossiês temáticos,&nbsp; artigos, resenhas, entrevistas e traduções que difundam o conhecimento científico.</span></p> https://periodicos.uesc.br/index.php/especiaria/article/view/3952 A comunicação humana: relevância, relações e reflexões na sociedade contemporânea 2024-07-12T19:56:03-03:00 Gabriel Sousa Suzart gabrielss.suzart@gmail.com <p>Ao longo da história, a comunicação tem sido fundamental para a interação e a sobrevivência humanas, embora tenha enfrentado desafios e resistências. Este estudo examina a comunicação como uma dimensão intrínseca da experiência humana, destacando sua distinção em relação à simples transmissão de informações. Explora-se neste artigo o impacto da escassez e da falta de comunicação na contemporaneidade, evidenciando como isso afeta as relações sociais e individuais. A partir de uma análise aprofundada das obras de diversos filósofos e pensadores, busca-se compreender a importância da comunicabilidade para o progresso pessoal e coletivo na sociedade atual. Considera-se a necessidade de uma abordagem ampla e reflexiva sobre o papel da comunicação, tanto no contexto individual quanto no contexto social, destacando sua relevância na construção de relações autênticas e na promoção do bem-estar geral. Este estudo visa oferecer uma perspectiva abrangente sobre como a comunicação influencia a forma como os seres humanos se relacionam consigo mesmos, com os outros e com o mundo ao seu redor, e como essa compreensão pode contribuir para um desenvolvimento mais humano e significativo da sociedade contemporânea.</p> 2024-04-04T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uesc.br/index.php/especiaria/article/view/4202 O sofrimento e a metafisica dos valores niilistas: Deus Está Morto (?) 2024-07-13T17:36:08-03:00 Raike Barone Costa Santos rbcsantos.ppgl@uesc.br Antonio Marco Borges Oliveira antoniomarcoborges31@gmail.com Roberto Sávio Rosa savio@uesc.br <p><span style="font-weight: 400;">O presente trabalho tem por finalidade apresentar a crítica do filósofo alemão Friedrich Nietzsche ao cristianismo, bem como suas bases morais e fundamentações. Buscamos apresentar conceitos importantes no pensamento do filósofo, tais como a sua concepção de vontade de poder, morte de Deus e o fim da metafísica, além de trabalhar o conceito de niilismo presente em seus escritos. Com isso, buscamos elucidar alguns conceitos que permanecem nublados no pensamento nietzschiano e demonstrar sua relevância para a filosofia contemporânea</span><strong>. </strong><span style="font-weight: 400;">Nietzsche é um dos pensadores mais emblemáticos da história da filosofia, sua obra é permeada por uma escrita poética, propondo uma profunda reflexão acerca da condição humana.&nbsp;</span></p> 2024-07-10T18:58:44-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uesc.br/index.php/especiaria/article/view/4196 Educação quilombola: saberes ancestrais e identidade cultural 2024-07-13T17:42:57-03:00 Ana Débora Costa do Nascimento Mascarenhas anadeboramascarenhas4@gmail.com Arlete Ramos dos Santos arlete.ramos@uesb.edu.br Paulo Sérgio Monteiro Mascarenhas psmmascarenhas@gmail.com <p>A educação quilombola é uma modalidade de educação do campo e é o resultado de lutas dos movimentos sociais, a agroecologia está inserida nessa modalidade de educação como forma de garantir a dignidade humana com preservação ambiental e valorização dos saberes ancestrais e preservação dos territórios. O objetivo dessa pesquisa é buscar um entendimento da relação entre saberes ancestrais e a educação quilombola como identidade cultural e de seus territórios. A metodologia utilizada foi a revisão bibliográfica e documental tem caráter qualitativa, descritiva e exploratória. Os resultados apontam que a agroecologia e a permacultura promovem a preservação ambiental, a conservação das sementes crioulas e são fundamentos da educação quilombola que visa a preservação da identidade cultural e valorização dos saberes ancestrais de um povo historicamente marginalizado. Se conclui ainda que a luta do povo quilombola é aliar a educação no processo de luta contra o racismo em todas as suas formas, a preservação e o respeito às crenças e saberes ancestrais associados ao saber científico provendo a cidadania, e a educação emancipatória.</p> <p>&nbsp;</p> 2024-06-17T16:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uesc.br/index.php/especiaria/article/view/4110 A implementação Lei nº 10.639/2003 na rede pública de ensino do município de Poções – Bahia 2024-07-13T18:06:35-03:00 Elenice Silva Ferreira elenice.silva@uesb.edu.br Bruno Pereira da Silva 201311412@uesb.edu.br <p>O presente texto resulta de uma pesquisa monográfica que buscou investigar a implementação da Lei nº. 10.639/2003 em escolas da rede pública, do município de Poções-Bahia, tendo como objetivo geral: Investigar os impactos da implementação da Lei nº. 10.639/2003 no ensino fundamental da rede pública, no município de Poções-Bahia, assim como as suas implicações no cotidiano da comunidade escolar das escolas investigadas. O texto apresenta dados da pesquisa, evidenciando os entraves e resistências para a construção de uma cultura de valorização do legado cultural do povo negro, historicamente, subjugado em comparação à cultura hegemônica, fator que ainda contribui para as práticas de exclusão social e racial, inclusive no interior da escola. A pesquisa ora discutida é de natureza qualitativa, cuja coleta de dados se deu, sobretudo, pelas entrevistas semiestruturadas, envolvendo professoras que atuam no Ensino Fundamental da rede pública, além da análise de documentos escritos. &nbsp;Concluímos evidenciando que a implementação da Lei nº 10.639/2003 não ocorreu em sua plenitude no município investigado, tendo na pouca qualificação dos profissionais da educação um dos fatores que contribuíram para esse cenário. Houve tentativas, ainda que tímidas, de implementação da lei federal no município, no entanto os entraves encontraram espaço não apenas em uma parte da comunidade escolar e local, como também no poder público. Se mostrou consensual, entre os sujeitos da pesquisa, que para haver uma reeducação da sociedade acerca das relações étnico-raciais não basta apenas a existência de uma legislação específica, sendo necessário um conjunto de ações que favoreçam a implementação da mesma.</p> 2024-06-17T16:19:23-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uesc.br/index.php/especiaria/article/view/4203 Possibilidades para articulação entre o cotidiano dos discentes, a pedagogia da alternância e o ensino de matemática na EFA Jacyra de Paula Miniguite 2024-07-12T19:17:28-03:00 Wéster Francisco de Almeida wester.fisica@gmail.com Terciana Vidal Moura tercianavidal@ufrb.edu.br Leandro do Nascimento Diniz lndinizsbem@gmail.com <p>O presente texto é um recorte de uma pesquisa desenvolvida no Mestrado Profissional em Educação do Campo, da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, que teve como objeto de estudo o Ensino de Matemática na Escola Família Agrícola (EFA) Jacyra de Paula Mini­guite, situada no município de Barra de São Francisco, estado do Espírito Santo. Objetivou compreender e ana­lisar como acontece a articulação entre o ensino de Ma­temática e o cotidiano dos discentes na referida escola. A proposta de ensino da Matemática na EFA vincula-se com princípios da Pedagogia da Alternância (PA), com o objetivo de contribuir para uma formação crítica e in­tegral dos estudantes, fundamentada nos contextos em que está inserida. Como abordagem metodológica, re­corremos à abordagem qualitativa. Para o levantamento de dados foi utilizada a pesquisa bibliográfica, a pesquisa documental e as seguintes técnicas de pesquisa: entre­vistas semiestruturadas, com o monitor/professor de ma­temática e a coordenadora da EFA; análise documental; e realização de um Grupo Focal, com os alunos do 3º ano do Ensino Médio. A pesquisa revelou que a EFA associa a teoria com a prática, quando reflete sobre a importância da alternância. Esse processo evidencia como este movi­mento de ir e vir proporciona uma maior interação entre teoria e prática, sendo a família, a comunidade e a escola parceiras nessa formação. Também apontou que a utiliza­ção dos instrumentos pedagógicos específicos da PA e a organização do trabalho pedagógico em forma de alter­nância têm contribuído para uma relação entre o Ensino de Matemática e o cotidiano dos estudantes.</p> 2024-07-05T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uesc.br/index.php/especiaria/article/view/4187 Práticas culturais: significados da experiência educativa na comunidade Nasa da Colômbia 2024-07-12T19:18:49-03:00 María Isabel González Terreros migonzalez@pedagogica.edu.co Lina Daniela Vargas Franco ldvargasf@upn.edu.co Estefanía Castaño Arenas ecastanoa@upn.edu.co <p>A comunidade indígena Nasa na Colômbia vem fortalecendo sua cultura há mais de cinco décadas. Nesse fortalecimento, a educación propia, como tem sido chamada a proposta educativa que implementam em seu território, tem permitido atualizar e trazer para o presente algumas práticas culturais que estavam se perdendo ou que simplesmente deixaram de ser realizadas. Neste artigo apresentamos algumas práticas culturais realizadas por meninos e meninas e pela comunidade do município de Inzá no âmbito de seus processos educativos e como parte de sua afirmação cultural, tais como: jogos ancestrais, tecelagem, vínculo comunitário e sua visão de mundo. Estas práticas, atualmente realizadas no território, e algumas nas escolas, mostram que é possível atualizar no presente o que a colonização negou e quis apagar; Ao mesmo tempo, permite que a cultura seja fortalecida pelos meninos e meninas que internalizam e realizam ações específicas à sua cultura</p> 2024-07-05T18:10:08-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uesc.br/index.php/especiaria/article/view/4176 Gestão das escolas do campo no contexto das políticas públicas de educação infantil 2024-07-13T21:24:49-03:00 Ramofly Bicalho ramofly@gmail.com Wanessa de Souza Benati wanessa.benati@ifgoiano.edu.br Alline da Silva Moureira alline.moureira@ifgoiano.edu.br <p>Esta pesquisa tem como objetivo analisar a efetividade das políticas públicas de educação do campo nas escolas rurais de educação infantil e a realidade dessa etapa na educação básica, ressaltando a importância de tais políticas para gestão das escolas do campo. Em relação à fundamentação teórica, aprofundamos as seguintes temáticas: políticas públicas específicas de educação infantil do campo; dificuldades oriundas da ausência de formação específica para professores e demais pares da gestão escolar; necessidade de intensificar os debates acerca das lutas contra o fechamento das escolas do campo; desenvolvimento de novas políticas públicas para os enfrentamentos atuais da educação infantil do campo. A metodologia utilizada foi a pesquisa bibliográfica e documental, destinada à investigação histórica, legislação, programas e diretrizes curriculares, além de inúmeras produções sobre este tema.</p> 2024-07-10T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uesc.br/index.php/especiaria/article/view/4339 História, Cultura e Vida 2024-07-13T18:39:37-03:00 Ademar Bogo abogo@uesc.br Ailson Pinhão de Oliveira bruno.vbbispo@upe.br Ana Cristina de Araújo criaraujo@hotmail.com Antonio Balbino Marçal Lima abmlima@uesc.br Bruno Vilas Boas Bispo bruno.vbbispo@upe.br José Montival de Alencar alencar@uesc.br Luiz Henrique dos Santos Blume luizblume@gmail.com Maria Luiza Santos maluss@uesc.br Maria Clara Gusmão mcasgusmao.cso@uesc.br Quele Pinheiro Valença quelemarcal@gmail.com Thiago Vinícius Mantuano da Fonseca tvmfonseca@uesc.br 2024-06-17T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uesc.br/index.php/especiaria/article/view/4192 O estado da arte da legislação escolar quilombola e das Relações étnico-raciais no Brasil: um olhar comparado por dentro do racismo institucional e da transgressão paradigmática 2024-07-13T21:35:15-03:00 Uilson Viana de Souza Uilsonego@hotmail.com <p>Este trabalho é fruto dos trabalhos de pesquisa em Educação Escolar Quilombola na trajetória do autor enquanto quilombola e pesquisador da temática. Busca discutir a Educação Escolar Quilombola enquanto um Direito Fundamental de estudantes quilombolas, dialogando com conceitos como quilombos, ancestralidade e identidade quilombola, sem perder de vista os aspectos e conceitos da dogmática jurídica, como Direito fundamental, Democracia, buscando relaciona-los com teóricos trabalhados na disciplina, bem como com a vivência e experiência do autor no campo da Educação Escolar Quilombola, a partir de outras produções&nbsp; e pesquisas acadêmicas anteriormente desenvolvidas em sua carreira acadêmica e militante.</p> 2024-07-12T11:31:45-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uesc.br/index.php/especiaria/article/view/4199 Projeto Semente Crioula: um relato de experiência sobre as ações de extensão em colaboração com comunidades quilombolas da Chapada Diamantina 2024-07-12T19:40:44-03:00 Azamor Coelho Guedes azamorcg@gmail.com Joyce Cristina da Silva Holanda jcsholanda@gmail.com Michele Santos Barbosa michelebarbosa@ifba.edu.br Renata Oliveira Silva prof.renatasilva12@gmail.com <p>Este é um relato de experiência sobre as ações do projeto de extensão Semente Crioula do Campus IFBA-Seabra. O projeto visa a promoção da oferta e permanência de estudantes quilombolas no Campus. O nosso principal foco foi apresentar os principais resultados e desafios da edição de 2020, quando o Semente Crioula operou de forma remota devido à pandemia de COVID-19. A abordagem teórico-metodológica centra-se na abordagem comunicativa da extensão de Paulo Freire. As etapas de execução do projeto em 2020 foram: a pesquisa diagnóstica através de formulários e entrevistas semiestruturadas seguidas pela oferta de atividades contextualizadas baseadas nos temas levantados pelos instrumentos de coleta de dados. O projeto conseguiu promover as inscrições da maioria dos estudantes quilombolas das escolas parceiras no Processo Seletivo do IFBA, mas nenhum foi aprovado. Também promoveu ações para manter o vínculo com estudantes quilombolas e assim combater a evasão.</p> 2024-07-12T11:28:21-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uesc.br/index.php/especiaria/article/view/4234 O mundo rural e a prática educativa: para continuar a refletir uma educação emancipadora 2024-07-13T21:45:14-03:00 Danilo Uzêda da Cruz danilohistoria@yahoo.com.br <p>O presente artigo expõe o debate sobre a educação do campo e seu papel emancipatório. Esse é o ponto de partida para o alcance das múltiplas dimensões e problematização da realidade no campo, modos de vida e contextos em que os sujeitos sociais estão imersos. A perspectiva da educação do campo exige portanto a análise do ambiente escolar, o educador e educadora, mas também metodologias que possibilitem a escuta democrática, a formação de educandos para a libertação e instigue a comunidade escolar e comunidade ampliada à promover e provocar políticas públicas tentas a superação das desigualdades persistentes no campo. Esse horizonte que propomos enxerga como ponto de partida a educação contextualizada e que educandos são convidados a estabelecer sua própria leitura e crítica.</p> 2024-07-05T14:10:28-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uesc.br/index.php/especiaria/article/view/4171 Re-existir: estratégias de resistência Guarani e Kaiowá 2024-07-13T21:52:40-03:00 Marinês Soratto marines.soratto@gmail.com Adir Casaro Nascimento adir@ucdb.br <p>Este estudo teve como objetivo analisar as pesquisas de mestrado e doutorado dos acadêmicos Guarani e Kaiowá do estado de Mato Grosso do Sul, no intuito de observar como a resistência evidencia em seus estudos e como desenvolvem e sistematizam estratégias a partir das suas próprias cosmologias e epistemologias. O estudo está ancorado nos estudos pós-coloniais, onde questionamos, a partir da relação binária entre colonizador e colonizado, as formas de dominação e opressão que diferentes povos sofreram com os processos de dominação colonial e, dos estudos decoloniais, no qual buscamos a partir de um olhar outro, compreender como os povos Guarani e Kaiowá elaboram estratégias para resistir e existir diante do mundo moderno colonial que rege nossa sociedade como um todo. Em nossas análises, compreendemos que a resistência Guarani e Kaiowá estão nos princípios básicos da educação tradicional que é a coletividade e a língua materna, ambas regidas pela espiritualidade, o que conecta os povos indígenas ao mundo físico e espiritual.</p> 2024-07-09T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uesc.br/index.php/especiaria/article/view/4144 Sentidos do trabalho docente em escolas rurais na pandemia de covid-19 2024-07-13T22:01:36-03:00 Leticia Michele Stencel leticia.m.stencel@gmail.com Ana Paula Soares da Silva apsoares.silva@usp.br <p>A propagação do vírus da COVID-19 teve impacto no acesso e qualidade educacional das populações do território rural, trazendo prejuízos significativos na docência. O objetivo geral deste artigo foi compreender a significação da vivência de professoras de área rural durante a pandemia por meio de entrevistas semiestruturadas individuais. Participaram da pesquisa quatro professores de cidades provenientes do interior de três Estados brasileiros. As entrevistas foram analisadas sob a perspectiva da psicologia histórico-cultural vigotskiana por meio do conceito de vivência. Os resultados apontaram que a oferta da educação rural entre os territórios foi desigual e que a docência foi significada por sentimentos negativos, como culpa e impotência, atreladas à falta de formação tecnológica, aumento da carga de trabalho, falta de apoio das gestões, perda do vínculo com os alunos e não contextualização dos materiais oferecidos para atender às diretrizes escolares do campo.</p> 2024-07-10T15:00:34-03:00 ##submission.copyrightStatement##