Povos indígenas, governança indigenista e autonomia política indígena em perspectiva comparada: elementos para o diálogo interétnico no Brasil e no Canadá

  • Cristhian Teófilo da Silva Universidade de Brasília

Resumo

O artigo parte das críticas e reivindicações das organizações e movimentos indígenas ao governo federal no Brasil para apresentar a governança indigenista como o principal obstáculo à realização da autonomia política indígena. O fato de o indigenismo de Estado já contar com mais de cem anos, apoiado em um ideário e práticas assimilacionistas, coloca desafios à efetivação dos direitos coletivos reconhecidos constitucionalmente. Por essa razão, o artigo apresenta argumentos que justifiquem o estudo da administração indigenista como forma de dominação interétnica, ressaltando a importância de comparar os processos de criação de terras indígenas no Brasil aos processos de criação de áreas reservadas para os indígenas em outros países, como o Canadá, uma vez que os direitos territoriais tornaram-se centrais para a efetivação dos direitos coletivos dos povos indígenas em países com constituições e políticas multiculturalistas.

Publicado
2015-08-31