Da Bahia à baianidade

Miguel Arturo Chamorro Vergara

Resumo


A partir do modo como as imagens são produzidas e transmitidas dentro das práticas culturais visualizam-se perspectivas de identificação do fenômeno identitário. Por vezes, esta imagem é projetada por meios técnicos, linguagem audiovisual ou dependente do apriorismo conceitual e ideológico da sua significância, fixa e manipula o ícone para certas valorizações. Este artigo, a partir destes usos de imagens, traz análise das ideias híbridas atreladas a imagens da Bahia dentro do processo de fixações identitárias desencarnadas da imaginação criadora das construções sociais do homem dessa região Brasileira. Revela-se apropriação significativa da construção ideológica da propaganda publicitária baseada num conjunto de signos emblemáticos, música, festividade e lazer a serem repetidas, valorizadas e veiculadas para o consumo turístico, como uma ordem da cultura local aberta a possibilidades de invenção.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.