Pedra Preta de Paranaíta: arte rupestre na ocupação do Alto Tapajós, Amazônia Mato-grossense

  • Maria Clara Migliacio
Palavras-chave: Arte rupestre, Amazônia Mato-grossense, Alto Tapajós, Pedra Preta de Paranaíta, Grupos indígenas.

Resumo

Localizado numa área arqueologicamente pouco conhecida da Amazônia Meridional, no alto rio Tapajós, Pedra Preta de Paranaíta é o sítio que melhor repre- senta a expressão rupestre da região, dadas as suas características monumentais e riqueza de seus gra smos. Diversos sítios similares têm sido registrados entre o rio Apiacás, a oeste, e o Araguaia-Tocantins, a leste, sugerindo uma área de ocorrência bem delimitada, em territórios tradicionais de diversos grupos indígenas. Outros elementos sugerem relações com áreas distantes. O artigo busca fornecer informações sistematizadas sobre esta expressão rupestre, ainda não plenamente descrita, sem descuidar da construção de seu contexto arqueológico. 

Biografia do Autor

Maria Clara Migliacio

Doutora em Arqueologia pelo MAE/USP (Instituto Homem Brasileiro) 

Publicado
2018-01-04