Eduardo Angelim e a produção de verdades na província do Grão-Pará no início do século XIX

  • Maurício Neves Corrêa Universidade Estadual Paulista
  • Ivânia dos Santos Neves Universidade Federal do Pará
Palavras-chave: Cabanagem, Silenciamento, História da mídia

Resumo

O início do século XIX, com suas intensas agitações políticas na província do Grão Pará, marca também o momento da criação dos primeiros jornais impressos na Amazônia brasileira. Parte destes primeiros periódicos vai representar a posição contrária à anexação da Amazônia ao Império brasileiro. Como culminância das insatisfações locais, em 1835, eclodiu a Cabanagem, uma revolução popular que proclamou a independência da região em relação ao recém-criado Império brasileiro. Nosso objetivo, neste artigo, é analisar a produção discursiva sobre Eduardo Angelim nas páginas do jornal A Sentinella Maranhense na Guarita do Pará e na obra Motins Políticos de Domingos Raiol, considerando suas emergências históricas, seus jogos de poder e a produção de verdades que a envolve.

Biografia do Autor

Maurício Neves Corrêa, Universidade Estadual Paulista

Doutor em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista -Júlio de Mesquita Filho - UNESP/Araraquara (2018), com Estágio Sanduíche no Departamento de Cinema da Université Sorbonne Nouvelle- Paris 3 (2017) , Mestre em Comunicação, Linguagens e Cultura, pela Universidade da Amazônia - UNAMA (2013), Graduado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade da Amazônia - UNAMA (2009).

Ivânia dos Santos Neves, Universidade Federal do Pará

Doutorado em Linguística, na área de Análise do Discurso pela Unicamp (2009). Mestrado em Antropologia pela Universidade Federal do Pará (2004). Licenciatura em Letras pela Universidade Federal do Pará (1992). Prêmio Jabuti 2000, na categoria didático. Experiências na área de Linguística, Comunicação e Antropologia. Desenvolve pesquisas com sociedades indígenas Tupi e experimentações didáticas com as novas tecnologias da informação. Atualmente, é professora do Instituto de Letras e Comunicação - ILC da Universidade Federal do Pará e docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras.

https://orcid.org/0000-0002-6738-5254

Referências

BRANDÃO, Helena Nagamine. Introdução à análise do discurso. Campinas: Editora Unicamp, 2005.

CHIAVENATO, Júlio José. Cabanagem: o povo no poder. São Paulo: Brasiliense, 1984.

DI PAOLO, Pasquale. Cabanagem: a Revolução popular na Amazônia. Belém: CEJUP, 1985.

FOUCAULT, Michel. A Arqueologia do Saber. Tradução: Luiz Felipe Baeta Neves. Rio de Janeiro: Forense, 2002.

FOUCAULT, Michel. A Microfísica do Poder. Organização e tradução: Roberto Machado. São Paulo: Graal, 2007.

FOUCAULT, Michel. Diálogo sobre o poder. In: MOTTA, Manoel Barros da (org.). Estratégias, Poder-Saber. Coleção Ditos & Escritos IV. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006. p. 253-266.

GREGOLIN, Maria do Rosário. Análise do Discurso e mídia: a reprodução das identidades. Revista Comunicação, Mídia e Consumo, São Paulo, v. 4, n. 11, 2007.

GREGOLIN, Maria do Rosário. Sentido, sujeito e memória: com o que sonha nossa vã autoria? In: GREGOLIN, Maria do Rosário; BARONAS, Roberto (orgs.). Análise do discurso: as materialidades dos sentidos. 2. ed. São Carlos: Claraluz, 2003. p. 47-58.

LAVAREDA Welton; NEVES, Ivânia. Políticas Linguísticas na Cabanagem: Diálogos e Duelos com o Nheengatu. Revista Intersecções, 2018. Disponível em: https://revistas.anchieta.br/index.php/RevistaInterseccoes/article/view/1362. Acesso em: 10 out. 2019.

PAPAGAIO, Vicente Ferreira de Lavor. A Sentinela Maranhense na guarita do Para. Santa Maria de Belém do Grão-Pará, 26 set.-04 out. 1834.

RAIOL, Domingos Antônio. Motins Políticos ou História dos principais acontecimentos políticos da Província do Pará desde o ano de 1821 até 1835. Belém: Universidade Federal do Pará, 1970.

PREZIA, Benedito; HOORNAERT, Eduardo. Brasil indígena: 500 anos de resistência. São Paulo: FTD, 2000.

RICCI, Magda. Do patriotismo à revolução: história da Cabanagem na Amazônia. In: FONTES, Edilza Joana Oliveira (org.). Contando a história do Pará: da conquista à sociedade da borracha (séculos XVI-XIX). 2. ed. Belém: E-Motion, 2003.

RICCI, Magda. Cabano paraense de Alfredo Norfini. Nossa História, Rio de Janeiro, v. 17, p. 50-53, 01 mar. 2005.

RICCI, Magda. Cabanagem, cidadania e identidade revolucionária: o problema do patriotismo na Amazônia entre 1835 e 1840. Tempo, Rio de Janeiro, v. 11, n. 22, p. 5-30, 2006.

RICCI, Magda. Passos imperiais e (des)compassos cabanos: Belém e sua “índole” – 1800-1840. In: LACERDA, Francinete; SARGES, Maria (orgs.). Belém do Pará: história, cultura e cidade – para além dos 400 anos. Belém: Açaí, 2016. p. 205-227.

RICCI, Magda; LIMA, Luciano. Historiador político ou político historiador? Interações entre experiências intelectuais e institucionais do Barão de Guajará. Revista OPSIS, Catalão, v. 13, n. 2, p. 395-418, 2013.

ROCQUE, Carlos. Cabanagem: epopéia de um povo. Belém: Imprensa Oficial, 1985.

SALLES, Vicente. Memorial da Cabanagem: esboço do pensamento político-revolucionário no Grão-Pará. Belém: CEJUP, 1992.

SODRÉ, Nelson Werneck. A História da Imprensa no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

Publicado
2020-09-18
Como Citar
Neves Corrêa, M., & Neves, I. (2020). Eduardo Angelim e a produção de verdades na província do Grão-Pará no início do século XIX. Revista Eletrônica De Estudos Integrados Em Discurso E Argumentação, 20(2). https://doi.org/10.47369/eidea-20-2-2494
Seção
Artigos Inéditos