“Jesus é travesti”: um olhar sobre a LGBTfobia em discurso polêmico no Instagram

Palavras-chave: Argumentação, Instagram, LGBTFobia, Retórica

Resumo

Neste artigo visamos à análise de uma publicação do cantor Johnny Hooker em seu perfil no Instagram e de alguns comentários feitos por seus seguidores. Seu discurso, ainda que não explicitamente, mostra-se como nota de repúdio ao cancelamento da apresentação da peça “O evangelho segundo Jesus, rainha do céu”, protagonizado pela atriz transexual Renata Carvalho, em que Cristo é representado como uma travesti, no Festival de Inverno de Garanhuns 2018. Em nossa análise, destacamos as estratégias argumentativas mobilizadas pelo cantor em defesa do espetáculo (escolhas lexicais, intertextos, figuras etc) e ainda aquelas às quais recorreram seus seguidores em comentários polêmicos contra o posicionamento do artista, como o uso do argumento ad hominem, que revelou discursos lgbtfóbicos. Para atingirmos nosso objetivo, recorremos a estudos (neo)retóricos, argumentativos e discursivos, como os de Aristóteles (2011), Perelman e Olbrechts-Tyteca (2005) e Maingueneau (2001), além de Butler (2004), para as questões de gênero e sexualidade.

Biografia do Autor

Andréa Mendonça Cunha, Universidade Federal de Sergipe

Mestranda em Letras pela Universidade Federal de Sergipe

Márcia Regina Pereira Curado Mariano, Universidade Federal de Sergipe

Doutora em Letras pela Universidade de São Paulo e docente da Universidade Federal de Sergipe.

Referências

ARISTÓTELES. Retórica. Tradução: Edson Bini. São Paulo: Edipro, 2011. [séc. IV a.C].

AMOSSY, Ruth. Imagens de si no discurso: a construção do ethos. São Paulo: Contexto, 2013.

AMOSSY, Ruth. Repensar a construção discursiva do espaço público. Bush em Massada, ou como se discute o evento no ciberespaço. Tradução: Rui Alexandre Grácio. EID&A - Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação, Ilhéus, n. esp. ADARR, p. 1-22, mai.2016.

AMOSSY, Ruth. Por uma análise discursiva e argumentativa da polêmica. Tradução: Angela Maria da Silva Corrêa. EID&A - Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação, Ilhéus, n. 13, p. 227-244, jan/jun.2017.

BRAGA, Adriana A.; GUIMARÃES, Juliana D.A. Minorias e discurso na esfera pública digital: o caso da Parada Gay. Revista Comunicação, Mídia e Consumo. São Paulo, v. 11, n.30, p. 57-81, jan/abr. 2014.

BUTLER, Judith. Deshacer el género. Barcelona: Paidós, 2004.

FERREIRA, Luiz Antonio Leitura e Persuasão: princípios de análise retórica. São Paulo: Contexto, 2010.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso: aula inaugural no Collége de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Tradução: Laura Fraga de Almeida Sampaio. 24ª ed. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

LOURO, Guacira L. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

MAINGUENEAU, Dominique. Análise de textos de comunicação. Tradução: Cecília P. de Souza e Décio Rocha. São Paulo: Cortez, 2001.

MEYER, Michel. A retórica. Tradução: Marly N. Peres. São Paulo: Ática, 2007.

PERELMAN, Chaim; OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado da Argumentação: A nova retórica. Tradução: Maria E. de A. P. Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

Publicado
2020-05-07
Como Citar
Cunha, A., & Pereira Curado Mariano, M. R. (2020). “Jesus é travesti”: um olhar sobre a LGBTfobia em discurso polêmico no Instagram. EID&A - Revista Eletrônica De Estudos Integrados Em Discurso E Argumentação, 20(1), 81-102. https://doi.org/10.17648/eidea-20-2489
Seção
Artigos Inéditos