CUSTOS DE TRANSAÇÃO NA CADEIA PRODUTIVA DO TOMATE DE MESA

O CASO DOS PRODUTORES DE GOIANÁPOLIS – GO, BRASIL

  • José Wellington Abreu Pereira UFG
  • Cleyzer Adrian da Cunha UFG
  • Alcido Elenor Wander Embrapa/UFG

Resumo

A cultura do tomate distingue-se em dois segmentos, o tomate industrial e tomate de mesa ou in natura. A produção e comercialização deste último caracteriza-se por sua heterogeneidade, tanto em escala de produção, quanto na destinação ao mercado, logo, custos adicionais podem ocorrer além daqueles envolvidos no processo produtivo. Desta forma, o presente estudo buscou analisar as transações da cadeia produtiva do tomate de mesa com enfoque no elo produtor em Goianápolis-GO, Brasil. Na metodologia, utilizou-se como técnica de abordagem a pesquisa quali-quantitativa. Quanto aos objetivos, ela caracterizou-se como exploratória e descritiva, quanto aos meios, escolheu-se o estudo de caso. Foram entrevistados 33 produtores de tomate de mesa entre 10 de setembro e 08 de novembro de 2018. Os resultados demostraram que 69,7% comercializam sua produção via CEASA - GO e 30,3%, via intermediários. Destes, 27,3% consideraram como fator mais positivo neste mercado, a facilidade de acesso ao comprador e o mais negativo, o risco de calote com 51,5%. Além disso, para 51,5% dos entrevistados, o maior desafio para essa comercialização são as oscilações no preço de venda. Conclui-se que pela dinâmica dessa comercialização há consideráveis custos de transação e uma das formas de mitigar esses custos seria os produtores se organizarem por meio de ações coletivas como cooperativas, associações, etc.

Biografia do Autor

José Wellington Abreu Pereira, UFG

Doutorando em Agronegócio pela Universidade Federal de Goiás – UFG. Email: jose.wellington@ifto.edu.br

Cleyzer Adrian da Cunha, UFG

Doutor em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Viçosa – UFV. Docente do Programa de Pós-Graduação em Agronegócio da Universidade Federal de Goiás – UFG

Alcido Elenor Wander, Embrapa/UFG

Doutor em Ciências Agrárias pela Georg-August-Universität Göttingen. Pesquisador da Embrapa Arroz e Feijão e Docente do Programa de Pós-Graduação em Agronegócio da Universidade Federal de Goiás – UFG.

Publicado
2021-11-06