ELASTICIDADES DA DEMANDA POR DIESEL NO BRASIL

  • Leonardo Chaves Borges Cardoso Universidade Federal de Viçosa
  • Cleiton Silva de Jesus Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)

Resumo

Diversas decisões de política pública passam pelo conhecimento das elasticidades preço e renda da demanda por diesel. Entretanto, nota-se escassez de trabalhos com esse objetivo na literatura, principalmente para o mercado brasileiro. Por isso, este artigo vai estimar as elasticidades preço e renda por diesel no Brasil utilizando dados mensais do período 2003m1-2018m3. Para tanto, utilizam-se duas metodologias econométricas: i) um Modelo de Ajustamento Parcial (PAM), que é estimado por meio de Variáveis Instrumentais (IV); ii) um modelo Autoregressivo com Defasagens Distribuídas (ARDL). Os resultados encontrados são compatíveis com a literatura internacional, com elasticidade preço por volta de -0,80 e elasticidade renda por volta de 1,00 (ambas no longo prazo). Para o ARDL, a renda tem um impacto apenas no longo prazo (o que é um resultado para o mercado brasileiro), enquanto o preço tem impacto tanto no longo, quanto no curto prazo.

Biografia do Autor

Leonardo Chaves Borges Cardoso, Universidade Federal de Viçosa

Professor no Programa de Pós Graduação em Economia Aplicada da Universidade Federal de Viçosa (PPGEA/UFV)

Cleiton Silva de Jesus, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)

Professor Adjunto no Departamento de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Tutor do PET Economia e Pesquisador do GEMA. 

Publicado
2020-12-17