A questão de gênero no mercado de trabalho

Uma análise regional para os anos de 2010 a 2017

Resumo

Este artigo objetiva analisar a dinâmica do emprego formal no Brasil pelo critério de gênero, de 2010 a 2017, com ênfase para a região Nordeste. A abordagem deste tema justifica-se na percepção de dinâmicas diferentes no mercado de trabalho brasileiro ao empregar homens e mulheres, uma vez que o aumento da participação das mulheres no mercado de trabalho veio acompanhado de uma lógica de precariedade, tanto em relação ao número de ocupações, como ao nível de salário. Para tanto, adequou-se bem aos objetivos da pesquisa a utilização do método Diferencial-Estrutural (Shift-Share), a partir de dados de emprego da RAIS, separados por gênero. Os principais resultados apontam que a criação líquida de empregos nos principais setores da economia ocorreu de forma diferente para homens e mulheres, demonstrando, para ambos os sexos, que alguns setores necessitam de maior especialização para aproveitarem as vantagens que alcançaram.

Biografia do Autor

Bárbara Raquel de Oliveira, Universidade Federal de Sergipe

Mestranda no Programa de Pós-Graduação Profissional em Economia - PROPEC/UFS

Publicado
2020-08-04