Educação em saúde para autonomia e independência no envelhecer: um relato de experiência na UATI

Amanda Maria Villas Bôas Ribeiro, Pricila de Oliveira Araújo

Resumo


As mudanças demográficas e epidemiológicas da população brasileira permitem afirmar que são fundamentais as iniciativas de educação em saúde,para estimular hábitos saudáveis de vida, possibilitando melhoria da qualidade de vida, autonomia e sensibilização sobre os riscos e agravos à saúde. Todos estes fatores são fundamentais para garantia do gozo de uma velhice saudável, com dignidade e liberdade, desenvolvendo a capacidade de escolha e realização de
suas atividades de vida diária, pensar e ter olhar crítico sobre o mundo. O objetivo deste trabalho, então, é relatar numa oficina as experiências vivenciadas, e discutir a contribuição da educação em saúde para manutenção da autonomia e independência no envelhecer. Trata-se de um relato de Experiência de caráter extensionista , tendo como cenário a Oficina Saúde no Envelhecer da Universidade Aberta à Terceira Idade, sendo o público-alvo adulto e idoso, participante dos encontros, na faixa etária de 47 a 81 anos, em sua maioria, mulheres. Com a execução dos encontros os idosos foram estimulados a ter um melhor desempenho na realização das atividades de vida diária e, desta forma, preservar sua autonomia e independência, além de sua funcionalidade e bem-estar, essenciais para saúde no envelhecer. 


Palavras-chave


Educação em saúde; Autonomia; Independência; Idosos; Uati .

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.