https://periodicos.uesc.br/index.php/extensao/issue/feed Focando a Extensão 2023-01-18T16:09:48-03:00 Neurivaldo José de Guzzi Filho revistaextens@uesc.br Open Journal Systems <p>A Revista Focando a Extensão, uma publicação da Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Estadual de Santa Cruz, com sua primeira publicação em 2011, constitui-se em espaço privilegiado para que os militantes da atividade extensionista, que atuam na Academia, possam compartilhar trabalhos e resultados com os seus pares no contexto da comunidade em geral. Nessa linha, a Focando a Extensão emerge como mecanismo compromissado com a Academia e com o mundo em que está inserida, agregando, no seu bojo, vários propósitos, entre eles o informativo e o educativo. Portanto, ela é fruto de anseios, desejos e necessidades de professores, alunos, servidores técnico-administrativos e de outros profissionais que atuam em atividades voltadas para as comunidades, com o fim de realizar transformações sociais mediante trabalho extensionista.</p> https://periodicos.uesc.br/index.php/extensao/article/view/3320 SIMULAÇÃO DA PANDEMIA DO SARS-COV-2 UTILIZANDO O MODELO SEIRD PARA AS MAIORES CIDADES DO SUL DA BAHIA 2022-09-16T16:20:53-03:00 Fabrício Berton Zanchi fabricio.berton@ufsb.edu.br Orlando Jorqueira Cortez ojorquerc@gmail.com Alan Gomes de Oliveira alan.oliveira@gfe.ufsb.edu.br <p style="margin-bottom: 0cm; line-height: 115%;" align="justify"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">A simulação da pandemia do SARS-COV-2 trouxe muita clareza em relação aos tratos e cuidados que a população precisaria entender quanto aos cuidados a serem seguidos. A projeções não necessariamente se concretizam, pois os cálculos se baseiam em parâmetros, como taxa de contágio e taxa de letalidade, que variam ao longo do tempo e dependem da qualidade dos dados oficiais, bem como pelas futuras medidas adotadas pelos municípios e a taxa de vacinação. O método foi o Modelo SEIRD, que utiliza cinco compartimentos – Susceptíveis (S), Expostos (E), Infectados (I), Recuperados (R) e Óbitos (D) – parâmetros: tamanho da população, período de incubação, número de casos e óbitos, taxa de contágio, taxa de letalidade e tempo que uma pessoa leva para se recuperar. Com resultados preocupantes, as simulações da pandemia foram três cenários: sem restrição ao fluxo (mobilidade total), mantendo o atual esforço de supressão de fluxo de pessoas (quarentena flexível) e um cenário restritivo próximo do lockdown. Os resultados serviram para entendermos a velocidade do contágio e possíveis reflexos na ocorrência dos óbitos, a depender da supressão de fluxo de pessoas, podendo servir de “farol” para as autoridades sanitárias traçarem suas estratégias e para o cidadão comum planejar o seu futuro. </span></span></p> 2022-09-16T12:23:59-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uesc.br/index.php/extensao/article/view/3588 PROGRAMA DE APOIO INSTITUCIONAL E GERENCIAL (AGIR): 2022-12-16T16:50:19-03:00 Emerson Antônio Rocha Melo de Lucenca earmlucena@uesc.br Alessandro Fernandes de Santana afsantana@uesc.br Cintya Santos Nobre csnobre@uesc.br Luciano Robson Rodrigues Veiga veiga@hotmail.com <p>O presente artigo, trata-se de um estudo de caso, que objetiva descrever uma ação extensionista da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), através do Programa AGIR, em parceria com a Associação dos Municípios da Região Cacaueira do Sul da Bahia, Extremo Sul e Sudoeste da Bahia (AMURC), tendo como área de estudo e de ação do programa, municípios das regiões atendidas conjuntamente por essas duas instituições. O período estudado vai do surgimento do AGIR em 2012 ao ano de 2021. O programa origina a partir da concepção conjunta da UESC e da AMURC, sobre a necessidade de fortalecer a gestão pública dos municípios integrantes da AMURC, com a formação de Fóruns de Secretários Municipais, constituindo-se diretorias, organizando, diagnosticando as demandas e o planejamento para as possíveis soluções. A metodologia adotada é a da gestão democrática e participativa. O objetivo principal do AGIR, é propiciar meios para qualificar e aperfeiçoar gestão municipal nas áreas estratégicas para o desenvolvimento local, aumentando a eficiência e a eficácia na execução de políticas públicas. Conclui-se que o Programa AGIR é apresentado como um caso de sucesso na capacitação e apoio aos gestores públicos dos municípios das regiões Sul, Extremo Sul e Sudoeste da Bahia.</p> 2022-12-16T16:50:18-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uesc.br/index.php/extensao/article/view/3579 PROMOÇÃO DA SAÚDE DE ADOLESCENTES, INSERÇÃO CURRICULAR DA EXTENSÃO E INTERDISCIPLINARIDADE 2023-01-18T16:09:48-03:00 Aretusa De Oliveira Martins Bitencourt aomartins@uesc.br Paulo Sergio Souza Vasconcelos pssvasconcelos@uesc.br Cristina Luísa Conceição de Oliveira clcoliveira@uesc.br João Luis Almeida da Silva jlasilva@uesc.br Natiane Carvalho Silva ncsilva@uesc.br Vanessa Thamyris Carvalho dos Santos vtcsantos@uesc.br Rozemere Cardoso de Souza rcsouza@uesc.br <p>Trata-se de um estudo exploratório, descritivo, de abordagem qualitativa, do tipo relato de experiência, que utilizou como base metodológica a adaptação da gestão de projetos para inserção curricular da extensão e como referencial teórico, as Diretrizes da Extensão preconizadas na Política Nacional da Extensão. A coleta de dados se deu por observação participante e análise documental. Descreveu - se os processos de promoção da saúde de adolescentes, através da curricularização da extensão e da interdisciplinaridade, desenvolvidos por docentes e discentes da graduação em enfermagem da UESC a partir das disciplinas em que estavam inseridos.&nbsp; Evidenciou-se que o recurso de uma Feira de Saúde com vistas à promoção da saúde de adolescentes em uma escola favoreceu a interdisciplinaridade e a curricularização da extensão, constituindo-se em laboratório pedagógico para formação cidadã de futuros enfermeiros.</p> 2022-12-17T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uesc.br/index.php/extensao/article/view/3570 Aplicação do processo de enfermagem em ações de educação e comunicação em saúde durante a pandemia de COVID-19 2022-12-28T10:51:07-03:00 Shauan Keven Rocha Fontes skrfontes.efe@uesc.br Andréa Evangelista Lavinsky aelavinsky@uesc.br Jênia Kallena Santos Silva jkssilva.efe@uesc.br Marina Nascimento Brito mnbrito.efe@uesc.br Nayara Mary Andrade Teles Monteiro nmatmonteiro@uesc.br Aretusa de Oliveira Martins Bitencourt aomartins@uesc.br <p>Durante a pandemia de COVID-19 a população não aderiu totalmente às medidas sanitárias, o que moveu acadêmicos da área da saúde à elaboração e implementação de estratégias de educação e comunicação em saúde direcionadas à comunidade. Assim, objetivamos relatar a aplicação do Processo de Enfermagem no planejamento e implementação de ações de educação e comunicação em saúde durante a pandemia da COVID-19, através de plataformas digitais. Trata-se de um estudo descritivo, qualitativo, do tipo relato de experiência das ações de extensão desenvolvidas por discentes e docentes de enfermagem, colaboradores do projeto de extensão Núcleo de Educação em Enfermagem de uma universidade no sul da Bahia. Após o momento de investigação, foram definidos os diagnósticos educacionais do público alvo, planejadas e implementadas intervenções educativas com o uso das plataformas digitais na produção de conteúdos informativos, eventos e materiais educativos baseados nas necessidades educacionais da população. A avaliação foi constante e processual, com base nos indicadores de engajamento nas redes sociais, comentários do público e da equipe. Assim, o Processo de Enfermagem, quando aplicado à função educativa pode se tornar uma ferramenta para a implementação do cuidado educacional.</p> 2022-12-28T10:51:04-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uesc.br/index.php/extensao/article/view/3421 SATISFAÇÃO DOS PACIENTES COM O ATENDIMENTO DA RECEPÇÃO DE UMA CLÍNICA ODONTOLÓGICA UNIVERSITÁRIA 2022-12-30T12:36:02-03:00 Gustavo Simão Moraes moraes.gustavo29@yahoo.com Laura Cristina de Andrade Bubna laurabubna1999@gmail.com Lauro Taques Neto lauroneto15@hotmail.com Daniela Huller danihuller@hotmail.com Ana Cláudia Dalmolin anaclaudiadalmolin2@gmail.com Leomar Emanuel Almeida Mecca leoo.mecca@gmail.com Fábio André dos Santos fasantos@uepg.br <p class="Pargrafobsico" align="center"><span lang="PT-BR">Este estudo teve como objetivo verificar a satisfação dos pacientes quanto ao atendimento da recepção das clínicas odontológicas da Universidade Estadual de Ponta Grossa, uma instituição de ensino superior pública do estado do Paraná. Os dados foram obtidos a partir de um questionário semi-estruturado aplicado em pacientes que estavam aguardando tratamento nas salas de espera. Avaliou-se a satisfação dos voluntários quanto ao atendimento dos extensionistas, à forma com que as informações foram dadas, à rapidez do atendimento, ao conforto da sala de espera, e à organização da recepção. Sugestões e reclamações também foram coletadas. Os resultados foram e analisados com estatística descritiva e analítica. A procura por atendimento na instituição foi semelhante considerando gênero e idade. Nenhuma resposta foi considerada muito negativa e poucas foram muito positivas; a maioria delas foi interpretada como neutra ou positiva. Podemos concluir que o serviço da recepção é fundamental para a organização e bom funcionamento do serviço de saúde como um todo, visto que proporciona benefícios não apenas para a população, mas também para os acadêmicos e professores. Os resultados da presente pesquisa evidenciaram os pontos positivos e fragilidades do serviço de recepção, que serão discutidas para a implementação de futuras melhorias.</span></p> <p>&nbsp;</p> 2022-12-30T12:36:01-03:00 ##submission.copyrightStatement##