QUAL O ESPAÇO PARA O ESPANHOL NA AVIAÇÃO CIVIL BRASILEIRA?

  • Antonio Ferreira da Silva Júnior Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Júlia de Souza Lima Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet/RJ)

Resumo

Desde 2004, a Organização da Aviação Civil Internacional determina a implementação de exames de proficiência em inglês para promover mais segurança no espaço aéreo. No Brasil, foram desenvolvidos dois exames de proficiência linguística, um para pilotos e outro controladores de voo. É nesse contexto que pesquisas e materiais produzidos em inglês para fins específicos no âmbito da aviação civil emergem no Brasil (NAZARETH, CALDERÓN, 2011). Em razão de o Brasil ter extensas fronteiras com países cujo idioma oficial é o espanhol, este artigo questiona o fato de a língua inglesa ser considerada a única “língua da aviação civil” e defende a inclusão da língua espanhola também na comunicação radiotelefônica. Fundamentado na área de línguas para fins específicos (ROSSINI; BELMONTE, 2015), este artigo resgata conceitos dessa abordagem para compreender o papel que poderia ocupar a língua espanhola no contexto da aviação brasileira. Elaboramos um questionário on-line e aplicamos a trinta profissionais da aviação civil para identificar a adoção do espanhol na comunicação radiotelefônica. Após a análise dos dados gerados, foi possível estimular a discussão da introdução da língua espanhola entre as provas de proficiência, uma vez que esse idioma é utilizado para solução de problemas em situações de emergência.

Biografia do Autor

Antonio Ferreira da Silva Júnior, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Possui Bacharelado e Licenciatura em Letras (Português-Espanhol) pela UFRJ, Especialização em Língua Espanhola pela UERJ, Mestrado e Doutorado em Letras Neolatinas pela UFRJ. Pós-Doutorado em Linguística Aplicada pela PUC-SP. Atualmente é professor de Espanhol da UFRJ, lotado no Colégio de Aplicação. Lecionou no Cefet/Rj durante dez anos. Desenvolve pesquisas sobre ensino de espanhol na educação profissional, formação de professores de Letras nos Institutos Federais, narrativas docentes e LinFE.

Publicado
2019-12-18
Seção
Artigos