INGLÊS COMO LÍNGUA INTERNACIONAL E O CURSO LEA-NI DA UESC: UM ESTUDO DO LIVRO MARKET LEADER ELEMENTARY

  • Mario Bastos Cunha Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) Ilhéus, BA, Brasil.

Resumo

A língua inglesa adquiriu, há algumas décadas, o status de língua internacional, uma vez que é usada para comunicação entre indivíduos de diferentes nacionalidades, além de ser a língua utilizada em grande parte das relações comerciais e diplomáticas, dentre outras funções. Ao observarmos o perfil do aluno a ser formado no curso de Línguas Estrangeiras Aplicadas às Negociações Internacionais – LEA-NI, da Universidade Estadual de Santa Cruz, entendemos que esse profissional precisa aprender esse idioma nesta perspectiva, visto que precisará negociar com pessoas de muitas nacionalidades diferentes. Sendo assim, o objetivo geral deste trabalho consiste em verificar se a língua inglesa é tratada numa perspectiva de língua internacional no livro didático adotado para o ensino de língua inglesa no primeiro semestre do curso LEA-NI da UESC. Especificamente, pretendemos compreender o conceito de Inglês como Língua Internacional e refletir sobre a importância do estudo do inglês numa perspectiva de língua internacional para a formação do profissional de LEA-NI. Este trabalho se trata de uma pesquisa bibliográfica qualitativa, tendo como principais referências: Smith (1981), Kachru (1982), Crystal (2003), McKay (2002), Leffa (2002) dentre outros. Neste estudo, após análise do livro didático Market Leader Elementary, a partir da identificação das ocorrências nas quais falantes de outras línguas utilizam-se do inglês para se comunicarem, verificamos que o material didático em questão não atende satisfatoriamente os conceitos elencados no texto sobre o Inglês como língua Internacional.

Referências

AHULU, S. General English: a consideration of the nature of English as an international medium. English Today. 13.1, N. 49, 1997, p. 17-23.

BERWIG, C. A. Estereótipos culturais no ensino/aprendizagem de português para estrangeiros. Dissertação (Mestrado em Letras), Departamento de Letras e Artes da Universidade Federal do Paraná. Curitiba: Paraná, 2004.

BRIEGER, N. Advanced International English. London: Cassell, 1989.

BICKLEY, Verner. Prefácio. In: SMITH, L. E. English for cross-cultural communication. London: Macmillan, 1981.

BRUN, Milenna. Dificuldades na aprendizagem de línguas e meios de intervenção, SITIENTIBUS - Revista da Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFES n.29, jul/dez 2003.

CONCEIÇÃO, Marcela Silva da; COSTA, Thiago Medeiros. A cultura como fator estratégico para o planejamento de marketing internacional. 2011. Disponível em: https://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos11/10814300.pdf Acesso em: 10 Maio 2017.

COTTON, David; FALVEY, David; KENT, Simon. Market Leader Elementary Business English Course Book. New Edition. Essex: Pearson Longman, 2007.

CRYSTAL, David. English as a global language. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

GODINHO, Wagner Botelho; MACIOSKI, Juliana Maria K. Estilos de negociação – A maneira pessoal de realizar negócios internacionais. CIÊNCIA & OPINIÃO. Curitiba, v. 2, n. 1/2, jan./dez. 2005.

KACHRU, B. B. Standards, codification and sociolinguistic realism: the English language in the outer circle. In: QUIRK, R.; WIDDOWSON, H. English in the world: teaching and learning and literatures. Cambridge, UK: Cambridge University Press, 1985, p.11-30.

KACHRU, B. B. Models for non-native Englishes. In: KACHRU, B. B. (Ed.). The other tongue: English across cultures. Urbana/Chicago: University of Illinois Press, 1992, p.48-74.

KACHRU, B. B. (Ed.). The other tongue: English across cultures. 2nd ed. Urbana and Chicago: University of Illinois Press. (1982/1992).

LACOSTE, Yves (Org.). A Geopolítica do Inglês. São Paulo: Parábola, 2005.

LEFFA, V. J. Teaching English as a multinational language. The Linguistic Association of Korea Journal, Vol. 10, N. 1, 2002.

McARTHUR, Tom. The oxford guide to world English. Oxford: Oxford University Press. 2002

McKAY, S. L. Teaching English as an international language: rethinking goals and approaches. Hong Kong: Oxford University Press, 2002.

NEELEY, Tsedal. Global business speaks English. Harvard Business Publishing Version: 1. In: Harvard Business Review, maio/2012. Disponível em: <https://hbr.org/2012/05/global-business-speaks-english> Acesso em: 15 de maio 2017.

RAJAGOPALAN, K. The concept of ‘World English’ and its implications for ELT. ELT Journal, Vol. 58, No. 2, Oxford University Press, 2004, p.111-117.

RALEY, Rita. Machine translation and global English. The Yale Journal of Criticism, vol. 16, n. 2, 2003.

SIQUEIRA, Domingos Sávio Pimentel. Inglês como Língua Internacional: Por uma pedagogia crítica. Tese (doutorado) - Universidade Federal da Bahia, instituto de letras. 2008.

SMITH, L. English as an international auxiliary language. RELC Journal, Vol. 7, No.2, 1976., p.38-43.

SMITH, L. E. English for cross-cultural communication. London: Macmillan, 1981.

SMITH, L. Discourse across cultures: Strategies in World Englishes. New York: Prentice Hall, 1987.

UESC, Departamento de Letras E Artes. Projeto Acadêmico Curricular do curso de Línguas Estrangeiras Aplicadas às Negociações Internacionais. Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC, 2011.

Publicado
2018-12-14
Edição
Seção
Artigos