USO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS POR RECEPCIONISTAS E MENSAGEIROS DE UMA REDE HOTELEIRA DE NOVA IGUAÇU-RJ

  • Antonio Ferreira da Silva Júnior Universidade Federal do Rio de Janeiro Cefet/Rj
  • Thays Moreira Castellar Cefet/Rj

Resumo

O presente artigo apresenta os resultados de uma pesquisa de final de curso na área de Turismo sobre a importância do uso de línguas estrangeiras por dois cargos de uma rede hoteleira localizada na cidade de Nova Iguaçu-RJ. O turismo no município em questão se dá no âmbito de negócios, pois é majoritariamente industrial e comercial. Como objetivo principal interessa-nos verificar a necessidade de dominar uma língua estrangeira para trabalhar no hotel. Para desenvolver o presente artigo, realizamos uma pesquisa bibliográfica sobre o ensino de línguas para fins específicos e aplicamos um questionário como parte da etapa quanti-qualitativa na rede hoteleira ‘Mont Blanc’. Na análise de dados, constatamos que somente um dos entrevistados tem curso superior na área de turismo e que a maioria não tem conhecimento de inglês e/ou espanhol, porém os colaboradores sentem necessidade de estudar tais idiomas de modo a interagir com turistas que se hospedam esporadicamente na rede investigada. Houve unanimidade em relação ao interesse dos colaboradores em uma formação continuada em línguas estrangeiras, já que defendem que a rede hoteleira deveria fornecer tal capacitação. Como os participantes não demonstraram domínio formal de nenhuma língua estrangeira, não foi possível levantar os usos linguísticos no contexto pesquisado.

Biografia do Autor

Antonio Ferreira da Silva Júnior, Universidade Federal do Rio de Janeiro Cefet/Rj

Possui Bacharelado e Licenciatura em Letras (Português-Espanhol) pela UFRJ, Especialização em Língua Espanhola pela UERJ, Mestrado e Doutorado em Letras Neolatinas pela UFRJ. Pós-Doutorado em Linguística Aplicada pela PUC-SP. Atualmente é professor de Espanhol da UFRJ, lotado no Colégio de Aplicação. Lecionou no Cefet/Rj durante dez anos. Desenvolve pesquisas sobre ensino de espanhol na educação profissional, formação de professores de Letras nos Institutos Federais, narrativas docentes e LinFE.

Referências

ANGELO, E. R. B. Métodos e técnicas de pesquisa em turismo. Rio de Janeiro: Fundação Cecierj, 2013.

CELANI, M. A. A.; RAMOS, R. C. G.; FREIRE, M. M. (Orgs.). A abordagem instrumental no Brasil: um projeto, seus percursos e seus desdobramentos. Campinas: Mercado de Letras; São Paulo: EDUC, 2009.

GAZOTTI-VALLIM, M. A. Palestra: Abordagem Instrumental para o Ensino de Línguas: fatos e mitos. X Encontro de Letras. Faculdade de São Bernardo do Campo, 16-20, out. 2006.

GOMES, Luiz Fernando. Uso da língua inglesa nos hotéis de Sorocaba e região: Um estudo das necessidades na situação - alvo. In: The ESP, São Paulo, vol. 24, nº 1, 17-34, 2003.

HUTCHINSON, T. & WATERS, A. English for Specific Purpouses: a learning-Centred Approach. Cambridge University Press, 1987.

LIMA-LOPES, R.E.; FISCHER, c. r; GAZOTTI-VALLIM, M.A. (orgs.). Perspectivas em línguas para fins específicos: festschrift para Rosinda Ramos. Campinas, SP:Pontes Editores, 2015.

LOURENÇO, J. R.. A Língua Inglesa e a Atividade Secretarial no ambiente Corporativo: Uma Revisão de Papéis. In: The ESP, São Paulo, p. 226 - 246, 2013.

ONODERA, J. Análise de necessidades do uso da língua inglesa na execução de tarefas em uma empresa multinacional. 2010. 119 f. Dissertação (Mestrado em Lingüística) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.

RAMOS, R. C. G.. Instrumental no Brasil: a desconstrução de mitos e a construção do futuro. In: Freire, M.; Abrahão, M.H.V.; Barcelos, A.M.F. (Org.). Linguística Aplicada e Contemporaneidade. Campinas - SP: Pontes Editora, 2005, v. , p. 109-123.

Publicado
2018-12-14
Edição
Seção
Artigos