TURISMO CAFEEIRO

Experiências, expectativas e percepções de pessoas com deficiência visual

  • Beatriz Carvalho Tavares Universidade Federal Fluminense
  • Marcello de Barros Tomé Machado Universidade Federal Fluminense

Resumo

A produção de café no ambiente rural brasileiro atrai o interesse de públicos distintos para a realização de experiências gastronômicas e culturais. No entanto, carece de estruturação e sensibilização para a inclusão aos visitantes com deficiência, principalmente nas dimensões atitudinal, comunicacional e arquitetônica. A cegueira e a baixa visão se destacam pela maior prevalência na população brasileira, correspondendo a um importante público para o desenvolvimento de ofertas turísticas inclusivas. O presente estudo objetiva analisar as experiências, expectativas e opiniões de pessoas com deficiência visual a respeito da oferta turística acessível e acessável em fazendas produtoras de café. Fundamentada na premissa “Nada sobre nós, sem nós”, esta pesquisa se apoia na necessidade de participação e inclusão de pessoas com deficiência em quaisquer ações pensadas ou realizadas sobre elas. Como método, caracteriza-se como qualitativa, exploratória e de cunho etnográfico, utilizando a coleta de dados primários por meio da etnografia online. Os principais resultados apontam o interesse das pessoas com deficiência visual no usufruto das experiências e aprendizados relacionados ao café, sem a demanda de modificações estruturais ou adaptações de equipamentos e mobiliários para uso exclusivo. Para os respondentes, é desejado somente a verdadeira inclusão, pautada não apenas na acessibilidade, mas no desenho universal, visando o turismo para todos.

Palavras-chave: Inclusão. Deficiência visual. Fazendas de café. Turismo acessível

Publicado
2022-11-01