Serviços Ecossistêmicos Culturais em Áreas Protegidas: uma revisão da literatura

  • Altair Sancho Pivoto UFJF
  • Sidnei Raimundo
  • Raphaella Lima
  • Alexandre Fonseca Alves

Resumo

Os serviços ecossistêmicos expressam os múltiplos benefícios prestados pelos ecossistemas à sociedade e, no caso específico dos serviços culturais, a ênfase recai sobre o papel da natureza em gerar benefícios de caráter não material, como lazer, recreação, turismo, espiritualidade, saúde, educação ambiental. Apesar da relevância, essa temática é pouco trabalhada pela academia e há lacunas de conhecimento para uma melhor compreensão de como as pessoas reconhecem e se relacionam com a natureza. Os serviços ecossistêmicos culturais (SEC) possuem uma grande subjetividade, pela diversidade de percepções das pessoas e pela intangibilidade provida pelas áreas verdes, e em especial, aquelas legalmente protegidas. Inspirados nesse cenário, o presente trabalho tem por objetivo reconhecer o “estado da arte” das pesquisas sobre serviços ecossistêmicos culturais, em termos de enfoques adotados, tipologia de áreas verdes estudadas e a representatividade das áreas protegidas no âmbito dessas pesquisas, bem como os métodos de investigação mais utilizados, a distribuição temporal das publicações e as lacunas e avanços existentes. A pesquisa envolveu um estudo bibliométrico em bases nacionais e internacionais sobre serviços ecossistêmicos culturais, por meio do levantamento de artigos nacionais e internacionais, publicados a partir de 2006. Os resultados evidenciam que são ainda incipientes as pesquisas sobre SEC, sobretudo em sua relação com áreas protegidas. Uma das justificativas para esse cenário é a dificuldade de apreensão, mensuração e mesmo valoração de tais serviços, já que estão relacionados com o contato e percepções de cada indivíduo com o ambiente natural, seus anseios, motivações e benefícios recreativos, de lazer, estéticos e espirituais.

Biografia do Autor

Altair Sancho Pivoto, UFJF

Professor e Pesquisador do Departamento de Turismo e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Coordenador do Centro de Investigação em Turismo, Território e Desenvolvimento Socioambiental - CITURDES/UFJF. Doutor em Geografia (2016) pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Minas Gerais, Mestre em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social pelo Programa EICOS/UFRJ (2007) e Graduação em Turismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2004). Tem experiência nas áreas de turismo, planejamento e ordenamento territorial, com ênfase nas interfaces com políticas públicas de turismo, projetos de desenvolvimento comunitário e áreas protegidas.

 desenvolvimento comunitário e áreas protegidas.

Sidnei Raimundo

Professor Associado da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP). Doutor em Geografia (na área de análise ambiental e dinâmica territorial) pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), mestre em Geografia (Geografia Física) pela Universidade de São Paulo (USP), bacharel e licenciado em Geografia também pela USP. Realizou estágio de pós-doutoramento em Geografia do Turismo na Universidade de Girona, Espanha. Trabalhou no Instituto Florestal do Estado de São Paulo, com manejo (gerenciamento) de parques, estações ecológicas e outras áreas protegidas. É professor da EACH-USP, onde também orienta nos programas de pós-graduação em "Mudança Social e Participação Política" e em "Turismo". É coordenador do curso de Lazer e Turismo da EACH-USP, gestão 2020-2021 e reconduzido ao cargo na gestão 2022-2024. É líder do grupo de pesquisa "Dinâmicas Socioambientais e Políticas Territoriais" e Coordenador na EACH-USP da Cátedra-Rede Unitwin da UNESCO sobre "Cultura, Turismo e Desenvolvimento". Sua linha de pesquisa está associada aos impactos espaciais e socioambientais do lazer e turismo, geografia do turismo, manejo de áreas protegidas, ecoturismo e lazer na natureza

 

Raphaella Lima

Bacharel em Turismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Possui graduação em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2017). Cursando Técnico em Guia de Turismo (EAD) no Instituto Federal de Minas Gerais, campus Santos Dumont. Participou dos projetos de extensão, monitoria e iniciação científica na área de Turismo, Patrimônio e Eventos ofertados pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Possui experiência em planejamento e execução de eventos devido a sua atuação na Empresa Júnior de Turismo e no Estágio na área de cerimonial.

Alexandre Fonseca Alves

Formado em Geografia, modalidade Licenciatura pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Bolsista do GET/TUR - Grupo de Educação Tutorial e voluntário no CITURDES - Centro de Investigação em Turismo, Território e Desenvolvimento Socioambiental. Participa de projetos de pesquisa que discutem o turismo em unidades de conservação, impactos da visitação em áreas protegidas, participação de comunidades locais em planos de manejo, saúde e bem-estar ligados ao turismo em áreas naturais. Também foi bolsista BIC/UFJF pelo laboratório OPETur - Organização e Produção do Espaço e Turismo, onde desenvolveu projetos na mesma temática.

Publicado
2022-03-30