REPRESENTAÇÕES SOBRE O CONSELHO MUNICIPAL DE TURISMO DE JUIZ DE FORA, MG

  • Virgílio Cézar da Silva e Oliveira Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Kamilla Menezes Avelar Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Cleber Roberto de Almeida Junior Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Victor Cláudio Paradela Ferreira Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Thiago Duarte Pimentel Universidade Federal de Juiz de Fora

Resumo

O propósito deste artigo, de natureza qualitativa, foi identificar as representações mantidas por integrantes do Conselho Municipal de Turismo de Juiz de Fora (Comtur) sobre a essência da atividade turística na cidade e sobre atributos-chave do órgão. As evidências apontam que o turismo de eventos e negócios é a modalidade mais expressiva no município. O principal desdobramento positivo da atividade é a geração de receitas e externalidades negativas são imperceptíveis. Em relação ao Comtur, seu papel essencial é, de fato, a integração dos elos da cadeia. Sua efetividade diante desse propósito tem se ampliado. Suas regras de governo, ajustadas à realidade da participação, são vistas como adequadas; seu processo deliberativo é marcado pelo protagonismo de um pequeno, mas relativamente coeso, conjunto de conselheiros e, por fim, suas relações com a sociedade e com poderes locais são tão boas quanto a demonstração de potência que o Comtur consegue expressar

Publicado
2020-09-24