O FESTEJO DA ABOLIÇÃO NA COMUNIDADE QUILOMBOLA DONA JUSCELINA / MURICILÂNDIA-TO

OLHAR CONTEMPORÂNEO DO TURISTA E PATRIMÔNIO IMATERIAL

  • Khalla Ribeiro TUPINAMBÁ Fundação Universidade Federal do Tocantins/UFT
  • Kênia Costa Gonçalves Universidade Federal do Tocantins-UFT
  • Arystóteles Borges CHAVES Universidade Federal do Tocantins-UFT

Resumo

Esse trabalho buscou principalmente fazer uma análise da perspectiva contemporânea do  olhar turístico sobre a identidade cultural da Comunidade Quilombola Dona Juscelina. Neste sentido, a pesquisa teve como objetivos investigar as representações do patrimônio imaterial da comunidade, por meio do Festejo da Abolição, e ainda identificar a percepção dos atores sociais envolvidos no festejo: turistas, mestres e organizadores, tendo como enfoque principal a perspectiva do turista sobre o legado patrimonial quilombola. A pesquisa se localizou na comunidade quilombola, que se encontra urbana, pois está lutando ainda pelo território ancestral situado no município de Muricilândia-TO, foi realizada em duas fases, iniciada em 2018 no mês de outubro e foi concluída no ano seguinte no Festejo da Abolição. Na primeira fase, foram aplicados questionários voltados aos organizadores e aos Mestres de cultura local e na segunda fase, foram aplicados questionários direcionados aos turistas que frequentam o festejo. Como resultado foi constatado que a comunidade quilombola através do Festejo da Abolição tem um grande potencial para o turismo cultural, pois foi observado um fluxo turístico latente e um rico acervo de representações culturais, isto é, com potencial para um processo de planejamento participativo comunitário que abra precedentes para ampliação de outros produtos turísticos culturais na comunidade.

Biografia do Autor

Khalla Ribeiro TUPINAMBÁ, Fundação Universidade Federal do Tocantins/UFT

Bacharel em Turismo pela Universidade Federal do Pará-UFPA (2006) e Mestre em Cultura & Turismo pela Universidade Estadual de Santa Cruz -UESC (2012) e atua como docente no quadro efetivo do curso de Gestão em Negócios e Turismo a Universidade Federal do Tocantins-UFT/Campus Araguaína desde 2014, no qual ministra as disciplinas "Cultura e Arte Popular" e “Patrimônio” entre outras. Participa do grupo de pesquisa BURITI - Bloco de Pesquisadores de Lazer e Turismo do Norte do Tocantins, em que é líder da linha de pesquisa “Patrimônio cultural e etnoturismo no Norte do Tocantins” e coordena projetos interligados ao grupo, como: “Análise do legado do patrimônio cultural no Norte do Tocantins: memória, identidade e turismo”, e  “Inventário turístico e patrimonial da comunidade quilombola Dona Jucelina Muricilândia/To”.

Kênia Costa Gonçalves, Universidade Federal do Tocantins-UFT

Está Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura e Território (PPGCult) da Universidade Federal do Tocantins (UFT). É doutora em Geografia pela Universidade Federal de Goiás (2014), onde também se titulou mestra em Geografia (2005), licenciada em Geografia (2007). Desde 2014 está vinculada ao Colegiado de Licenciatura em Geografia da Universidade Federal do Tocantins (UFT). Desde 2018 atua como pesquisadora do Núcleo de Pesquisa e Extensão em Práticas e Saberes Agroecológicos (NEUZA). Mantém  vínculo com a Universidade Federal de Goiás (UFG) como docente no curso de Licenciatura Intercultural Indígena e pesquisadora do Laboratório de Estudos de Gênero, Étnico-Raciais e Espacialidades (LaGENTE-IESA-UFG). Tem experiência na área de Interdisciplinaridades, com ênfase em Geografia, atuando nos seguintes temas: educação indígena, quilombola, etnias, cultura, identidades e territórios. 

Arystóteles Borges CHAVES, Universidade Federal do Tocantins-UFT

Graduado em Gestão em Turismo pela Universidade Federal do Tocantins-UFT, foi bolsista do projeto de extensão : "Inventário turístico e Patrimonial da Comunidade Quilombola Dona Jucelina Muricilândia/To" e membro da comunidade quilombola Dona Juscelina.

 

Publicado
2021-02-07