Literatura infantil em espanhol na Guiné Equatorial: um olhar memorialístico e intercultural

  • Luiza Santana Chaves Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: literatura guinéu-equatoriana, espanhol, infância, memória cultural.

Resumo

A literatura da Guiné Equatorial vem atraindo cada vez mais os olhares interessados e ávidos de cultura africana dos amantes da língua espanhola. Colocando em evidência a complexidade historiográfica, teórica e crítica da literatura para crianças, faz-se necessário também destacar a vertente infantil como meio difusor de cultura que precisa ser estudado abarcando também a sua diversidade intercultural. Nesse sentido, a produção cultural guinéu-equatoriana nos presenteou recentemente com uma obra da literatura infantil repleta de sensibilidade ética e fruição estética: o afro-conto El viaje de Ilombe (2017), escrito por Alejandra Ntutumu e ilustrado por Lydia Mba. Intenta-se, neste artigo, dar visibilidade ao compromisso ético-estético do livro de Ntutumu e Mba, que a nosso ver, recuperam aspectos importantes da tradição oral da Guiné Equatorial bem como estabelecem a recriação artística de elementos do acervo intercultural memorialístico guinéu-equatoriano para o público infantil. Assim, almejamos dar voz à memória africana e afrodescendente em língua espanhola esquecida e silenciada, despertando o imaginário infantil para a leitura dessa narrativa atual plena de ancestralidade. 

Biografia do Autor

Luiza Santana Chaves, Universidade Federal de Minas Gerais
Doutora e mestre em Letras/Estudos Literários na área de concentração Teoria da Literatura e Literatura Comparada, linha de pesquisa Literatura, História e Memória Cultural  pela Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Licenciada em Letras pela UFMG e professora de língua espanhola do Centro Pedagógico da UFMG. 
Publicado
2018-12-18
Seção
Dossiê temático