Carne viva: a estreia literária de Mario Soldati em Portugal

  • Vanessa Castagna

Resumo

O presente artigo aborda a primeira tradução em português do romance Le lettere da Capri (1954) do escritor italiano Mario Soldati, que pode ser considerado um caso de estudo pertinente para a descrição do sistema de normas implícitas que orientavam a produção de literatura traduzida em Portugal nos anos 1950, em pleno Estado Novo. O enquadramento teórico que subjaz à análise é o dos estudos descritivos de tradução inaugurados por Gideon Toury, que leva a observar e a interpretar os elementos fornecidos pelo metatexto (Carne Viva, 1955), no sentido de reconstruir as expectativas perante uma tradução literária de ficção narrativa nessa determinada época e nesse específico espaço cultural. De acordo com a análise proposta, o critério que se revela predominante no processo tradutório, neste caso, é o da maior aceitabilidade, ou seja, de uma forte adesão às normas do sistema cultural de chegada.
Publicado
2018-02-27
Seção
Dossiê temático