Tragédia na modernidade: o Leviatã hobbesiano como metáfora de representação política

  • Luiz Silva

Resumo

O presente artigo tem por interesse destacar a importância das metáforas

como modelos linguísticos de representação epistemológica e política dentro

da filosofia moderna de Thomas Hobbes. Sob o prisma de uma racionalização do

mundo e do homem nos termos do heliocentrismo moderno, o presente artigo visa

revelar uma influência poética escondida nas bases da matéria filosófica sobre a

qual Hobbes aplica seu moderno método geométrico. Assim como a modernidade

científica pode ser entendida sob o prisma de uma racionalização do Hélio (Sol),

da Gaia (Terra), da Selene (Lua) e de outras entidades mitológicas afins, a moderna

representação política em Hobbes também pode ser entendida como a racionalização

de um Prometeu, de um Édipo e do próprio Leviatã. O presente artigo busca

revelar, sob o prisma do método geométrico adotado por Hobbes, que e como as

metáforas, as parábolas, as hipérboles e outras figuras de linguagem afins são elevadas

ao estatuto de rigorosos princípios científicos.

Publicado
2017-05-09