O papel das emoções na negociação da distância entre os sujeitos no discurso publicitário

  • Anna Carolina Araújo Silveira Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Palavras-chave: Retórica. Argumentação. Emoções. Discurso publicitário.

Resumo

Este trabalho tem como objetivo contribuir com posições teóricas que defendem a racionalidade das emoções, isto é, recolocam a emoção em um lugar fundamental na argumentação, tratando-a não como uma pulsão, sensação, mas sim como um efeito possível visado pelo discurso, dotado de racionalidade. Estabeleceremos um elo entre os estudos retóricos e da argumentação, e os estudos das emoções e de sua racionalidade, buscando, na materialidade discursiva, elementos para a análise do papel das emoções na negociação da distância entre os sujeitos acerca de uma questão. O objeto de estudo é o discurso publicitário, mais precisamente, uma peça publicitária da lâmina de barbear Mach 3, da Gillette, pois acreditamos que esse discurso seja dotado de uma forte carga patêmica, não somente em função da necessidade de captação característica desse gênero discursivo, mas também pela validade das emoções como argumentos racionalizados, participantes do processo de desencadeamento de intensidades de adesão determinadas.
Publicado
2015-05-05
Como Citar
Silveira, A. C. (2015). O papel das emoções na negociação da distância entre os sujeitos no discurso publicitário. Revista Eletrônica De Estudos Integrados Em Discurso E Argumentação, 7(1), 5-21. Recuperado de http://periodicos.uesc.br/index.php/eidea/article/view/480
Seção
Artigos