A retórica e as paixões no Prefácio de Hans Kelsen: notas sobre o sujeito, o discurso e a Teoria Pura do Direito

Resumo

Este artigo tem como proposta discutir a implicação das emoções no Prefácio que Hans Kelsen escreveu, em 1934, quando publicou sua primeira edição da Teoria Pura do Direito. O objetivo é analisar enunciados e enunciações que são reveladores não apenas do discurso kelseniano sobre a sua noção do Direito positivo, mas também as marcas retórico-enunciativas da inscrição do sujeito produtor e enunciador desse discurso. A análise metodológica do corpus se deu por meio da Retórica das Paixões de Aristóteles, em diálogo com teorias desenvolvidas por Meyer (2000, 2007), além da Teoria Semiolinguística de Charaudeau (2001) e das teorizações sobre narrativas de vida propostas por Machado (2014). Como resultado preliminar, comprovamos que há elementos do Pathos, na construção retórico-enunciativa desse Prefácio, que revelam as relações entre sujeito, teoria e discurso. Concluímos que a expressão das emoções no discurso kelseniano sugere chaves de leitura para novas abordagens sobre os estudos da argumentação.

Biografia do Autor

Adriana do Carmo Figueiredo, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutoranda em Linguística do Texto e do Discurso (UFMG), mestre em Estudos Literários (UFMG) e advogada constitucionalista. Membro da Asociación Latinoamericana de Estudios del Discurso (ALED) e da Sociedade Brasileira de Retórica (SBR). Desenvolve pesquisas acadêmicas em Direitos Humanos, Literatura, Análise do Discurso, Teoria Semiolinguística, Hermenêutica Jurídica e Teorias da Argumentação.

Referências

ARISTÓTELES, Retórica das Paixões. Introdução, notas e tradução do grego: Isis Borges B. da Fonseca. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

BERTAUX, Daniel. Le récit de vie. 2. ed. Paris : Armand Colin, 2005.

BOBBIO, Norberto. O positivismo jurídico: lições de filosofia do direito. Trad. Márcio Pugliesi, Edson Bini, Carlos E. Rodrigues. São Paulo: Ícone, 1995.

CHARAUDEAU, Patrick. Da ideologia aos imaginários sociodiscursivos. In: _____________. Discurso Político. (Trad. Fabiana Komesu e Dilson Ferreira da Cruz). São Paulo: Contexto, 2006. p. 184-208.

CHARAUDEAU, Patrick. Langage et discours. Paris : Hachette, 1983.

CHARAUDEAU, Patrick. Préface. In : BOYER, H. L’écrit comme enjeu. Paris : Didier/Credif, 1988. p. 5-7.

CHARAUDEAU, Patrick. Uma teoria dos sujeitos da linguagem. Trad. Ida Lucia Machado, Renato de Mello e Williane Viriato Rolim. In: MARI, Hugo et al. (orgs.). Análise do discurso: fundamentos e práticas. Belo Horizonte: Núcleo de Análise do Discurso FALE/UFMG, 2001. p. 23-38.

DICIONÁRIO ESCOLAR ALEMÃO MICHAELIS. Disponível em: <http://michaelis.uol.com.br/escolar-alemao/busca/alemao-portugues/vorwort>. Acesso em: 15 nov. 2017.

KELSEN, Hans. Prefácio. In: __________. Teoria Pura do Direito. Trad. João Baptista Machado. São Paulo: Martins Fontes, 2003, p. XII-XV.

LIMA, Helcira Maria Rodrigues de. As emoções e sua implicação na construção argumentativa. In: PIRIS, Eduardo Lopes; OLÍMPIO-FERREIRA, Moisés. Discurso e Argumentação em múltiplos enfoques. 1. ed. Coimbra: Grácio Editor, 2016, p. 241-259.

LIMA, Helcira Maria Rodrigues de. O olhar do delegado: imagens de si e do outro. Revista da ABRALIN, v.8, n.1, p. 57-74, jan./jun. 2009. Disponível em: <http://revistas.ufpr.br/abralin/issue/view/2333>. Acesso em: 03 dez 2017.

LIMA, Helcira Maria Rodrigues de. STV: Retórica, Argumentação e Emoções. Disciplina ministrada no Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos (POSLIN). Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2017. Notas de aula.

MACHADO, Ida Lucia. A ironia como estratégia comunicativa e argumentativa. Revista Bakhtiniana, São Paulo, Número 9 (1), p. 108-128, Jan./Jul. 2014a. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/bak/v9n1/08.pdf>. Acesso em: 20 nov. 2017.

MACHADO, Ida Lucia. O prefácio visto como uma prática discursiva em que diferentes vidas e obras se entrecruzam. Revista GEL, Campinas/SP, volume 43, série 3, p. 1129-1139, dezembro 2014b. Disponível em: <https://revistas.gel.org.br/estudos-linguisticos/article/view/511>. Acesso em: 30 out. 2017.

MEYER, Michel. A Retórica. Apresentação e revisão de trad. Lineide Salvador Mosca. São Paulo: Ática, 2007

MEYER, Michel. Prefácio – Aristóteles ou a retórica das paixões. Introdução, notas e tradução: Isis Borges B. da Fonseca. In: ARISTÓTELES, Retórica das Paixões. São Paulo: Martins Fontes, 2000, p. XVII-LI.

NEVES, Joana. História geral: a construção de um mundo globalizado. São Paulo: editora Saraiva, 2002.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Tradução: Eni Puccinelli Orlandi, Lourenço Chacon Jurado Filho, Manoel Luiz Gonçalves Corrêa, Silvana Mabel Serrani. 5 ed. Campinas, SP: Ed. UNICAMP, 2014.

PLANTIN, Christian. L’argumentation. Paris : Édtions Seuil, 1996.

REBOUL, Olivier. Introdução à retórica. Tradução de Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

Wheeler-Bennett, John. The Nemesis of Power: The German Army in Politics 1918–1945. 2. ed. Palgrave Macmillan, 2005.

Publicado
2019-04-29
Seção
Artigos Inéditos