A contra-argumentação no discurso político: análise da primeira intervenção de Fidel Castro na ONU, 1960

  • Ana Paula Santos de Oliveira Instituto Federal de Alagoas
  • Jacqueline Elizabeth Vásquez Araujo Universidade Federal de Alagoas
Palavras-chave: Conectores. Contra-argumentação. Discurso político. Dialogismo.

Resumo

O objetivo deste estudo é compreender como a contra-argumentação funciona no discurso político. Para isso, analisamos sequências discursivas da primeira fala de Fidel Castro na Assembleia Geral das Nações Unidas, em 1960. A pesquisa tem como base teórica os estudos sobre conectores discursivos, em especial sobre as partículas opositivas, a teoria da argumentação e o dialogismo bakhtiniano. Nosso principal instrumento de investigação foi a revisão bibliográfica, através de autores como Bakhtin/Volóchinov (2006), Fuentes Rodríguez e Alcaide (2007), García (2007), Montolío (2001), Portolés (1993, 1995, 2001) e Zorraquino e Portolés (1999), entre outros. Em sua conclusão, a pesquisa apontou o grande poder de mobilização da partícula sin embargo, que, no discurso em questão, voltou-se para a persuasão, a explicação refutativa e a substituição. Desses valores, constatamos uma maior recorrência à persuasão.

Biografia do Autor

Ana Paula Santos de Oliveira, Instituto Federal de Alagoas
Doutoranda em Linguística pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Docente do Instituto Federal de Alagoas (IFAL).
Jacqueline Elizabeth Vásquez Araujo, Universidade Federal de Alagoas
Doutoranda em Língua Espanhola pela Universidad de Valladolid (UVA). Docente da Universidade Federal de Alagoas (UFAL).
Publicado
2018-07-15
Seção
Artigos Inéditos