"Só passando por cima do meu cadáver": uma análise do discurso de Eduardo Cunha sobre a legalização do aborto

Camilla Ramalho Duarte, Rosane Santos Mauro Monnerat

Resumo


A legalização do aborto é, ainda, tema tabu na sociedade brasileira, ainda mais para o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha. Pensando, então, na dificuldade de separar política e religião é que este trabalho se justifica, pois tem como objetivo analisar as declarações pró-criminalização do aborto, feitas pelo político. Para tal, tem-se como ponto de partida a Teoria Semiolinguística de Análise do Discurso, cunhada por Patrick Charaudeau, no que tange aos sujeitos do ato de linguagem e suas identidades, que determinarão “quem fala com quem”. Recorrer-se-á, ainda, à noção de ethos, recuperada da tradição aristotélica, que tem a ver com a construção da imagem de si que o sujeito faz discursivamente. Assim, pode-se pensar que as declarações do ex-congressista se tornaram mote para uma discussão relevante sobre a legalização do aborto, mostrando o quanto o discurso político influencia as decisões tomadas pelo Congresso e a vida da população brasileira.

Palavras-chave


Aborto. Política. Semiolinguística. Eduardo Cunha.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17648/eidea-v1-14-1639

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Autor e Revista EID&A

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.