ANÁLISE DO PERFIL PSICOGRÁFICO DE TURISTAS DA CLASSE MÉDIA EMERGENTE NA COMUNIDADE DA ROCINHA

  • Roberto Pessoa de Queiroz Falcão Pontifícia Universidade Católica - PUC RJ
Palavras-chave: Comunidade, Classe Média, Perfil Psicográfico

Resumo

Este estudo identifica o perfil psicográfico de moradores da comunidade da Rocinha, clientes de agências de viagem. A relevância deste trabalho se dá pelo porte do setor de turismo no Brasil e pela importância da classe média emergente, havendo necessidade de conhecer melhor este público. A Academia no Brasil tem enfatizado aspectos do consumo de baixa renda relacionados ao varejo e às características destes consumidores, assim como seu processo de compra. Percebe-se, no entanto, lacunas quanto à aplicação do conceito de perfis psicográficos e estudos sobre consumo da classe média emergente em turismo. O arcabouço teórico deste trabalho baseia-se na tipologia de Plog e seus perfis, os quais o autor denomina de “alocêntrico”, “mesocêntrico” e “psicocêntrico”, conforme suas características. Foi adotada uma análise de conteúdo de Bardin, das 12 entrevistas em profundidade realizadas com clientes da agência, escolhidos segundo critérios de tipicidade e acessibilidade. Comparou-se os relatos das entrevistas com os perfis psicográficos, embasados no referencial teórico. Os dados revelaram uniformidade no perfil dos clientes da agência, predominando o tipo “psicocêntrico”, com algumas características do perfil “mesocêntrico”. Os clientes da agência eram de origem nordestina, e compravam, em geral, passagens aéreas ou rodoviárias para visitar seus parentes nas cidades de origem.

Biografia do Autor

Roberto Pessoa de Queiroz Falcão, Pontifícia Universidade Católica - PUC RJ
Professor do programa de MBA do Departamento de Empreendedorismo e Gestão - UFF; professor do MBA Empreendimentos Turísticos - UFF, professor do Laboratório de Tecnologia, Gestão de Negócios e Meio Ambiente-LATEC em treinamentos ministrados para o Tribunal de Justiça do Estado - TJRJ. Ministra cadeiras de Estratégia Empresarial, Cenários e Tendências, Práticas Empresariais, Gestão de Projetos, dentre outras disciplinas. Doutorando em Administração - IAG PUC, Mestre - MSc em Gestão Empresarial pela FGV - EBAPE. Rio (2014), Pós Graduado em Marketing pela ESPM (1998), Graduado em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Viçosa - MG (1992). Profissional de Marketing com 20 anos de experiência na criação e desenvolvimento de novos negócios e projetos com base em análise de mercado. Atuação em cargos gerenciais na Coca-Cola, AMBEV, Fagga GL Events, além de outras experiências empreendedoras.Atua principalmente nos seguintes temas: marketing, empreendedorismo, vendas, inovação, comportamento do consumidor, cultura, turismo e gestão de eventos. Experiência anterior em Docência - Universidade Cândido Mendes (2003 - 2005) - Professor auxiliar. Ministrou as cadeiras de Marketing de Serviços, Lançamento de Produtos, Marketing Básico e Marketing Avançado, para os cursos de Gestão de Marketing e de Negócios. Fluente em inglês, espanhol e francês.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS AÉREAS (ABEAR). Dados e Fatos. Panorama 2013. Disponível em: <http://www.abear.com.br/uploads/arquivos/dados_e_fatos_arquivos_ptbr/Panorama_2013.pdf>. Acesso em: 11 jul.2014.

ASSAD, Marta Maria Nogueira; ARRUDA, Maria Cecilia Coutinho de. Consumidor de baixa renda: o modelo de dinâmica do processo de compra. Anais ANPAD. Salvador, 2006.

BACHA, Maria de Lourdes; STREHLAU, Vivian Iara. Uma tipologia para segmentação de hábitos de viagem das classes populares. Turismo-Visão e Ação, v. 11, n. 2, p. 175-200, 2009.

BALOGLU, Seyhmus; UYSAL, Muzaffer. Market segments of push and pull motivations: A canonical correlation approach. International Journal of Contemporary Hospitality Management, v. 8, n. 3, p. 32-38, 1996.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições, v. 70, 1977.

BARKI, Edgard; PARENTE, Juracy. Consumer behaviour of the base of the pyramid market in Brazil. Greener Management International, v. 2006, n. 56, p. 11-23, 2006.

BARRETO, F. & BOCHI, R. Mercados pouco explorados: descobrindo a classe C. Relatório de Pesquisa. Boston Consulting Group, março, 2002.

COHEN, Erik. Toward a sociology of international tourism. Social research, p. 164-182, 1972.

CRESWELL, John W. Research design: Qualitative, quantitative, and mixed methods approaches. Sage publications, 2013.

CROMPTON, John L. Motivations for Pleasure Vacation. Annals of Tourism Research, v. 6, p.408-424, 1979.

D’ANDREA, Guillermo; STENGEL, Alejandro; GOEBEL-KRSTELJ, Anne. Gerando valor para o consumidor emergente. Harvard Business Review Brasil, (Novembro):95-101, 2003.

DE CHLARA, M. Com 86 milhões de pessoas, a classe C já e Maioria da População Brasileira. Net. São Paulo, mar. 2008. Ipsos. Disponível em <http://www.ipsos.com.br> Acesso em 22 abr. 2014.

DUAILIBI, J.; BORSATO, C. Ela empurra o crescimento. Net. São Paulo, abr. 2008. Ipsos. Disponível em <http://www.ipsos.com.br> Acesso em 25 ago.2014.

DUARTE, Jorge. Entrevista em profundidade. Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas, v. 1, p. 62-83, 2005.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. Costa J. E. (Trad.) 3ª ed. Porto Alegre:

Artmed, 2009.

FRIEDLANDER, David; MARTINS, Ivan; MOON, Peter. A nova classe média do Brasil. Época. 20 (534), 92-101, ago. 2008.

GAZONI, Jefferson et al. Valoração Econômica do Parque Estadual de Itaúnas (ES). Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada-IPEA, 2006.

GIGLIO, E. O comportamento do consumidor. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 2002.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1996.

GODOI, Christiane Kleinübing; MATTOS, P.L. de. Entrevista qualitativa: instrumento de pesquisa e evento dialógico. In: GODOI, C.K.; BANDEIRA-DE-MELLO, R.; BARBOSA DA SILVA, A. (Org.). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais. São Paulo: Saraiva, 2006.

GODOY, Arilda Schmidt. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, Rio de Janeiro, v. 35, n. 2, p. 57-63, mar./abr., 1995.

GOOSSENS, Cees. Tourism information and pleasure motivation. Annals of tourism research, v. 27, n. 2, p. 301-321, 2000.

IBAM (Instituto Brasileiro de Administração Municipal); DATA POPULAR. Classes C e D, Um novo mercado para o turismo Brasileiro. RELATÓRIO FINAL. Análise de Dados da Pesquisa Quantitativa e Qualitativa, 2005. Disponível em: <http://www.turismo.gov.br/export/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/Classes_C_D_novo_mercado.pdf>. 2005. Acesso em: 08 mai.2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA- IBGE. Síntese de indicadores sociais: uma análise de condições de vida da população brasileira. 2009. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/indicadoresminimos/sinteseindicsociais2009/indic_sociais2009.pdf >. Acesso em 20 jan.2014.

IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008 — 2009. Rio de Janeiro, 2010. Disponível em: <http://www.scribd.com/doc/33912901/>. Acesso em: 15. mar. 2014.

KAMAKURA, Wagner A.; MAZZON, Jose A. Socioeconomic status and consumption in an emerging economy. International Journal of Research in Marketing, v. 30, n. 1, p. 4-18, 2013.

KLENOSKY, David B. The “pull” of tourism destinations: A means-end investigation. Journal of travel Research, v. 40, n. 4, p. 396-403, 2002.

LINCOLN, Yvonna S.; GUBA, Egon G. Naturalist inquiry. Beverly Hills, CA: Sage, 1985.

MALERBA, Rafaela Camara et al. O Turismo Na Base Da Pirâmide: Perfil Do Turista Rodoviário De Baixa Renda Em Visita À Cidade De São Paulo. Turismo y Desarrollo Local, n. 10, 2011.

MATTOSO, Cecília Lima de Q. Classes sociais, peculiaridades na base da pirâmide e a possibilidade de esquemas classificatórios. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 34, 2010, Rio de Janeiro. Anais. Rio de Janeiro: ANPAD, 2010.

____________; LIMA, Aline da S.; NEVES, Laís da S. Influência das Classes Sociais no Consumo de Lazer entre Idosos e Jovens. Revista ADM. MADE, Rio de Janeiro, ano 11, v.15, n.2, p.49-62, maio/setembro, 2011.

____________. Classes Sociais e o Comportamento das Classes C e D: um Levantamento Bibliográfico. R. Ci. Humanas, v.4, n.2, p.127-138, dez. 2004.

MINISTERIO DO TURISMO (MTUR). Plano Nacional de Turismo 2013-2016. Brasília, DF, 2012.

Ministério do Turismo (2014).Brasília,DF. Economia do turismo cresce no Brasil. Disponível em: < http://www.turismo.gov.br/turismo/noticias/todas_noticias/20140417-1.html>. Acesso em: 28 abr., 2015.

NERI, Marcelo (Coord.). A nova classe média. Rio de Janeiro: FGV, 2008.

NERI, Marcelo (Redação). Presidência da República, Assuntos Estratégicos. Social e Renda. A Classe Média Brasileira, NÚMERO 1, 2014.

PARENTE, Juracy; BARKI, Edgard. Oportunidades na baixa renda. GVexecutivo, v. 4, n. 1, p. 33-37, 2005.

_________; LIMEIRA, Tânia MV; BARKI, Edgard. Varejo para a baixa renda. Bookman, 2008.

PLOG, S. Why destination areas rise and fall in popularity. Cornell Hotel and Restaurant Quarterly, 14(4), p.55-58, 1974.

______ Why destination areas rise and fall in popularity. In: KELLY, E. Domestic and International Tourism. Wellsbury: Institute of Certified Travel Agents, 1977. PLOG, S. C. Leisure Travel: Making it a Growth Market . . . Again! New York: John Wiley and Sons, 1991.

_________ The power of psychographics and the concept of venturesomeness. Journal of Travel Research, 40(3), p.244-251, 2001.

POCHMANN, Marcio. Nova classe média? O trabalho na base de pirâmide social brasileira. Boitempo Editorial, 2012.

RIGATTO, Sandra Cristiane. A segmentação de mercado e a comunicação publicitária no turismo: o modelo de Plog em anúncios veiculados por revista especializada. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2007.

SCHIFFMAN, Leon. G.; KANUK, Leslie Lazar. Comportamento do consumidor. 6. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2000.

SERASA EXPERIAN. Faces da Classe Média. Fevereiro, 2014. Disponível em: <http://www.secovi.com.br/files/Arquivos/faces-da-classe-media-secovi-midia.pdf.>. Acesso em: 28 abr., 2015.

SILVA, Francisco Lourenço; ZILBER, Silvia Novaes. Estratégias das Grandes Empresas para o Mercado Brasileiro de Baixa Renda: Um Estudo de Casos Múltiplos. Encontro Nacional da Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Administração. Anais. São Paulo: ANPAD, 2009.

STAKE, Robert E. The art of case study research. Sage, 1995.

SWARBROOKE, J.; HORNER, S. O comportamento do consumidor no Turismo. São Paulo, Aleph, 2002.

THOMPSON, John B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. 2. ed. Trad. Grupo de Estudos sobre Ideologia, Comunicação e Representações Sociais da Pós-Graduação do Instituto de Psicologia da PUC-RS. Petrópolis: Vozes, 1990.

TOMAZZONI, Edegar Luis; DE OLIVEIRA, Caroline Cunha. Turismo de intercâmbio: perfis dos intercambistas, motivações e contribuições da experiência internacional. Turismo-Visão e Ação, v. 15, n. 3, p. 388-408, 2013.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2008.

YUAN, Sue; MCDONALD, Cary. Motivational Determinants of International Pleasure Time. Journal of Travel Research, 24, Fall, p.42-44, 1990.

Publicado
2017-11-27